INGLATERRA: “BISCOITOS” RONALDO GERAM POLÉMICA

Café em Worcester, Reino Unido, vendeu cerca de 60 bolachas. Dono alega que se tratava de uma brincadeira.

Um português que vive no Reino Unido gerou polémica ao vender, no seu café, bolachas alusivas às acusações de violação de que Cristiano Ronaldo é alvo.

José Gonçalves, de 47 anos, vendeu os “Biscoitos Ronaldo” a 50 cêntimos no seu café Our Taste of Portugal, em Worcester, a 200 quilómetros a norte de Londres.

A sua iniciativa foi alvo de críticas nas redes sociais. Lydia Johnson, coordenadora num centro que ajuda vítimas de abusos sexuais, considerou que nunca é correto fazer piadas acerca de violação ou abuso sexual.

“Não acreditei quando vi no Facebook, fiquei enojada ao ouvir a história“, contou a coordenadora do centro.

Gonçalves vive em Worcester há dez anos e explora o café há quatro. O português considerou as bolachas uma simples brincadeira com “o sentido de humor britânico”, mas acabou por retirá-las do café face à polémica.

“Quem me conhece sabe que nunca foi minha intenção provocar qualquer polémica“, disse à agência Lusa José Gonçalves, surpreendido com as reações recebidas.

Nas redes sociais os comentários contra a atitude do português foram surgindo.

“Tentar vender bolachas representando uma mulher a ser violada é desprezível“, comentou uma internauta, enquanto que uma outra disse que era “chocante”, acrescentando: “Quem já decidiu usar a violação como uma piada e depois tentar lucrar com isso precisa de pensar de novo“.

José Gonçalves lamentou as reações, que não esperava tendo em conta o famoso humor britânico. “Jamais ia brincar com esse assunto, eu próprio fui vítima de abusos sexuais quando era criança”, frisou à Lusa.

Contudo, esta terça-feira foi o melhor dia de sempre no café que o português abriu há quatro anos, pois recebeu muitos locais em busca das bolachas na origem da polémica.

“Queriam comprar para levar os amigos e para o escritório, mas como já não havia acabaram por beber café e levar pastéis de nata“, disse o dono.

“Frágil” por causa dos comentários negativos nas redes sociais, José Gonçalves receia ter de fechar o negócio, que só consegue aguentar porque tem um emprego em tempo parcial a fazer limpezas.

“Mantenho o negócio por amor à camisola, porque é um local de encontro da comunidade, onde ajudo com traduções para quem não fala bem inglês”, declarou.

Apesar da polémica, o café vendeu entre 50 e 70 bolachas antes de o dono as decidir retirar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.