MONDIM DE BASTO: AUTARQUIA INVESTE NA PRÁTICA DE PARAPENTE

O município de Mondim de Basto vai melhorar as pistas de descolagem e aterragem de parapente, e criar uma nova, para reforçar a promoção do turismo de desporto de natureza, disse hoje a autarquia.

O município de Mondim de Basto vai melhorar as pistas de descolagem e aterragem de parapente, e criar uma nova, para reforçar a promoção do turismo de desporto de natureza, disse hoje a autarquia.

O investimento, de 238 mil euros, irá permitir melhorias no monte Farinha, onde se encontra o Santuário da Nossa Senhora da Graça, para valorizar o espaço “não apenas para quem pratica, mas também para quem quer ver”, adiantou à Lusa o vereador da Câmara de Mondim de Basto Paulo Mota.

“É um investimento muito importante que está completamente alinhado com o que é a nossa estratégia de promoção de turismo, direcionada à vertente do desporto de natureza e do usufruto do espaço natural com a prática desportiva, seja numa vertente mais lúdica ou radical”, sustentou o autarca daquele município do distrito de Vila Real.

Quer com a presença de praticantes locais, quer de estrangeiros, Paulo Mota vincou que sempre que o tempo permite é possível ver “dezenas de pessoas” a praticarem parapente.

“É já um verdadeiro cartão postal, pois muitas vezes a fotografia que circula para promover a região é o alto do monte Farinha com praticantes de parapente a voarem”, sublinhou.

Sendo uma atividade com “muitos anos” em Mondim de Basto, Paulo Mota explicou que nos últimos tem alcançado ainda “uma nova dinâmica com o surgimento de uma escola de parapente”, o clube Parapente de Basto.

A obra, que irá arrancar durante o próximo ano, irá melhorar a pista de descolagem mais utilizada, direcionada a oeste, mas também criar uma nova pista a norte e “tem como objetivo permitir que o terreno tenha declives mais suaves, e que seja mais confortável para quem descola”.

Outro investimento será na pista de aterragem, no local onde existe já a atual pista, mas que permitirá o “assumir da infraestrutura”.

“Até aqui a infraestrutura era cuidada por via do esforço da associação e dos contactos que a associação ia fazendo junto dos baldios e empresas, e agora este espaço fica definitivamente entregue a esta prática, inclusive com o apoio dos próprios baldios que cederam o terreno para poder ser feita a obra”, acrescentou Paulo Mota.

A melhoria das condições irá também permitir ao concelho de Mondim de Basto receber provas de maior dimensão, embora “a estratégia do município e da associação passe por ter sempre em permanência alguns atletas”.

“Nos últimos três anos têm surgido novos parapentistas, quer de Mondim de Basto quer de fora, e que vêm aqui para frequentar o curso e ter as suas licenças de parapentista”, realçou, explicando que a associação consegue ter “um grande número de sócios ativos”, quer locais quer de toda a região Norte.

A candidatura para a melhoria das condições para a prática de parapente no monte Farinha, no âmbito do programa Estratégia de Eficiência Coletiva PROVERE Minho Inovação, terá um investimento total de 238 mil euros, sendo a participação da autarquia de 75 mil euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.