RÁDIO REGIONAL
ECONOMIA & FINANÇAS

MOODY’S DIZ QUE ‘RÚSSIA PREGOU O CALOTE’ MAS MOSCOVO NEGA

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O não pagamento dos juros da dívida russa constituem um incumprimento, considerou a agência de notação financeira Moody’s num comunicado difundido durante a madrugada.

“No dia 27 de junho [segunda-feira], os detentores de dívida russa não tinham recebido o pagamento em eurobonds correspondentes a 100 milhões de dólares. Ao expirar o período de 30 dias, consideramos que se trata de falta de cumprimento”, refere a agência Moody’s.

Na segunda-feira, o Kremlin disse que não há “qualquer razão” para se falar num incumprimento da Rússia, anunciado por alguns meios de comunicação, depois de detentores de obrigações russas não terem recebido os juros até à data limite.

“Não há razão para chamar a isto um incumprimento”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, aos repórteres.

“Este pagamento foi feito em maio, em moeda estrangeira”, disse.

“Estas alegações sobre um incumprimento russo são completamente ilegítimas”, insistiu.

A Rússia anunciou em 20 de maio que tinha pago juros sobre duas dívidas no valor de 71,25 milhões de dólares e de 26,5 milhões de euros, sete dias antes da data prevista para evitar que estes pagamentos fossem bloqueados por sanções em vigor a partir de 25 de maio.

Se os credores não recebessem o valor dos juros até 26 de junho, a Rússia estaria em situação de incumprimento.

“Isto não é um incumprimento do nosso país, mas sim o colapso artificial e deliberado do sistema internacional de compensações”, disse à agência russa Ria Novosti Konstantin Kosachev, vice-presidente da câmara alta do Parlamento.

VEJA AINDA:

PORTUGAL JÁ CONCEDEU 49.405 PROTEÇÕES TEMPORÁRIAS A UCRANIANOS

Lusa

CRIPTOMOEDAS: PLATAFORMA HODLNAUT SUSPENDEU LEVANTAMENTOS E DEPÓSITOS

Lusa

FISCO ESCLARECE APLICAÇÃO DA TAXA SOBRE EMBALAGENS DE ‘TAKE AWAY’

Lusa

MÁRIO FERREIRA ENTRA NA HISTÓRIA COMO PRIMEIRO PORTUGUÊS A IR AO ESPAÇO

Lusa

TENSÃO: 27 AVIÕES DE GUERRA CHINESES INVADEM ESPAÇO AÉREO DE TAIWAN

Lusa

RIQUEZA DAS FAMÍLIAS CRESCEU ENTRE 2017 E 2020 E RÁCIO DE ENDIVIDAMENTO BAIXOU

Lusa