RÁDIO REGIONAL
ECONOMIA & FINANÇAS

MOTORISTAS: FECTRANS E ANTRAM CHEGAM A UM ACORDO DE CONTRATO COLETIVO

nbsp| RÁDIO REGIONAL

A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) e a associação de transportadores de mercadorias concluíram hoje o processo negocial de revisão do contrato de trabalho, que atualiza a tabela salarial em 11,1% para os motoristas de pesados.

“Teve lugar hoje a última reunião de negociação do CCTV [Contrato Coletivo de Trabalho Vertical] subscrito entre a Fectrans e a Antram [Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias], tendo as comissões negociadoras acordado um texto final, que será no decorrer desta semana analisado pelos órgãos competentes das duas entidades”, avançou, em comunicado, a federação sindical.

Neste texto são consolidados os pontos contidos no memorando de entendimento de 14 de agosto, que atualiza em 11,1% a tabela salarial para os motoristas de pesados, bem como “as principais cláusulas pecuniárias” em, pelo menos, 4%.

“O resultado da negociação traduz-se num CCTV com nova estrutura, que contém uma parte geral e que autonomiza os capítulos referentes ao transporte nacional, outro ao internacional/ibérico e outro sobre as matérias perigosas”, indicou a Fectrans.

De acordo com esta estrutura, foi possível, através da alteração da redação e da clarificação de diversas cláusulas, “evoluir em diversas matérias”.

Entre estes pontos inclui-se a definição de limites nos tempos de trabalho.

“Fica claro que todo o tempo, incluindo o de disponibilidade, é pago. Da aplicação deste CCTV não pode resultar uma diminuição da retribuição líquida do trabalhador”, lê-se no comunicado.

VEJA AINDA:

CONSERVATÓRIAS: TRABALHADORES DOS REGISTOS EM GREVE DOIS DIAS POR SEMANA

Lusa

JUSTIÇA: DISCRIMINAÇÃO SALARIAL DE MULHERES CUSTOU 112 MILHÕES À GOOGLE

Lusa

REVISORES DA CP EM GREVE POR AUMENTOS SALARIAIS

Lusa

SETÚBAL: LIGAÇÕES PARA TROIA DA ATLANTIC FERRIES SUSPENSAS QUINTA-FEIRA À TARDE

Lusa

TRABALHADORES DA WORTEN EM GREVE POR MELHORES SALÁRIOS

Lusa

FENPROF DIZ QUE NOVO REGIME DE MOBILIDADE POR DOENÇA É ‘PERVERSO’

Lusa