ECONOMIA & FINANÇAS

NOVO BANCO AGRAVA PREJUÍZOS EM 39% PARA 555 ME NO PRIMEIRO SEMESTRE 2020

O Novo Banco registou prejuízos de 555,3 milhões de euros no primeiro semestre, um agravamento de 38,8% face ao mesmo período de 2019, constituindo 138 milhões de euros de provisões relacionadas com a covid-19, divulgou hoje a instituição.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o banco liderado por António Ramalho assinalou que os prejuízos se justificam “em 91% pelas perdas de -260,6 milhões de euros resultado da avaliação independente aos fundos de reestruturação” e “138,3 milhões de euros de imparidade adicional para riscos de crédito decorrentes da pandemia covid-19”.

De acordo com o documento, o Novo Banco justifica os prejuízos com perdas de 78,7 milhões de euros “relacionados com a cobertura de risco de taxa de juro de títulos de dívida pública portuguesa” e 26,9 milhões de euros no “reforço da provisão para reestruturação”.

VEJA AINDA:

COVID-19: SUPERMERCADOS SEM RESTRIÇÕES DE HORÁRIOS E COSTA PEDE QUE NÃO HAJA ‘CORRIDAS’

Lusa

AGÊNCIA DE NOTAÇÃO FINANCEIRA ESPANHOLA BAIXA CLASSIFICAÇÃO DE PORTUGAL

Lusa

CRISE: CRÉDITO ÀS EMPRESAS CAI PARA MÍNIMOS DESDE FEVEREIRO DE 2018 – BDP

Lusa

CONSUMO DE ELETRICIDADE ATINGE EM 2020 O VALOR MAIS BAIXO DESDE 2005 – REN

Lusa

PREÇO MÉDIO DE ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS CAI 13,5% NO FIM DE 2020 – BARÓMETRO

Lusa

CRISE: TURISMO ACENTUA QUEDAS EM NOVEMBRO COM MENOS 80% DE HÓSPEDES E DORMIDAS

Lusa