RÁDIO REGIONAL
REGIÕES

PORTO: 26 SUSPEITOS DE FURTO E VICIAÇÃO DE VIATURAS

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O Ministério Público (MP) acusou 26 arguidos pela prática de diversos crimes, incluindo furto, recetação e viciação de veículos, ocorridos em várias localidades dos distritos do Porto e Aveiro, informou hoje a Procuradoria-Geral Regional do Porto (PGR-P).

Numa nota publicada na sua página na internet, a PGR-P refere que os crimes ocorreram no período de janeiro de 2020 a maio de 2021, data em que nove dos arguidos ficaram sujeitos a medidas de coação privativas da sua liberdade.

Segundo o despacho de acusação, proferido em 26 de novembro de 2021, um dos arguidos criou um grupo, com mais quatro arguidos que, ao longo do referido período, dedicou-se ao furto de veículos automóveis.

Nesse período temporal, de acordo com a investigação, o grupo terá furtado, em média, duas viaturas por semana, que depois eram vendidas a outros arguidos ou indivíduos de identidade não apurada, com destino a países estrangeiros, ou desmanteladas e vendidas em peças.

“Pela venda de cada viatura, o cabecilha do grupo recebia em média pelo valor de três mil euros e os demais membros do grupo, contavam, pela sua participação, com valores entre os 600 e os 1.200 euros que aquele lhes entregava com o produto da venda de cada veículo furtado”, refere a acusação, que imputa a este grupo o furto de, pelo menos, 13 veículos.

Ainda de acordo com a investigação, estes cincos arguidos detinham “especiais” conhecimentos em mecânica, o que lhes permitia colocar em funcionamento de forma rápida os veículos furtados e a eficaz dissipação dos mesmos, sendo quase todos eles eram detentores de oficinas de reparação automóvel, que usavam como “fachada” para aí armazenar e adulterar os veículos furtados.

O MP refere ainda que paralelamente a esta atividade em grupo, estes arguidos, atuando concertadamente com os demais acusados, nas diversas situações, dedicaram-se também ao furto de veículos que usavam no cometimento de outros crimes, ao furto de catalisadores e outros componentes de veículos, ao furto em estabelecimentos comerciais ou armazéns e ao furto de gasóleo com a aposição de chapas de matrícula falsa nos veículos abastecidos.

Alguns arguidos são ainda suspeitos de simulação do furto de veículos e falsificação de documentos, com o propósito de obterem das respetivas seguradoras os valores da indemnização por danos próprios, e de utilização de cartão bancário em compras em estações de serviço, contra a vontade do legítimo proprietário.

A acusação refere ainda que três arguidos assaltaram a residência de um homem de 70 anos que vivia sozinho, com recurso a uma faca, e outros quatro vendiam droga, sendo que duas das arguidas usavam os menores que residiam com as mesmas na distribuição do estupefaciente aos consumidores.

Os arguidos estão acusados de dezenas de crimes de furto, roubo, tráfico de estupefacientes, falsificação de documentos, recetação, burla, burla informática, simulação de crime, introdução em lugar vedado ao público, auxílio material e maus-tratos a animais de companhia.

Os cinco arguidos, que constituíam o grupo que se dedicava ao furto de viaturas, respondem ainda por um crime de associação criminosa.

O MP requereu a declaração de perda a favor do Estado dos bens, valores e viaturas apreendidas, assim como, o valor da atividade da vantagem criminosa alcançada por todos os arguidos com as condutas criminosa, num total apurado de cerca de 232 mil euros.

VEJA AINDA:

PORTO: TROTINETES CIRCULAM POR ZONAS PEDONAIS PROIBIDAS

Lusa

VILA REAL: JUDICIÁRIA DETEVE TRÊS SUSPEITOS DE ATEAR 16 INCÊNDIOS – MONTALEGRE

Lusa

ALMANCIL: CORPO DA DESAPARECIDA SANDRA ANDRADE ENCONTRADO EM QUARTEIRA

Lusa

MATOSINHOS: APA DESACONSELHA BANHOS EM CINCO PRAIAS DEVIDO A INCÊNDIO

Lusa

ERC RECORRE À JUSTIÇA CONTRA UM CIDADÃO ‘AMEAÇADOR E ABUSIVO’

Lusa

PORTO: BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS ‘À DERIVA’ SEM ÓRGÃOS SOCIAIS

Lusa