Ligue-se a nós

REGIÕES

PORTO: RUI MOREIRA QUEIXA-SE DOS ATRASOS NAS OBRAS DO METRO

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, enviou pela terceira vez em pouco mais de um ano uma carta à Metro do Porto com queixas sobre obras na cidade, considerando que é “impossível confiar” nos planos da transportadora.

Online há

em

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, enviou pela terceira vez em pouco mais de um ano uma carta à Metro do Porto com queixas sobre obras na cidade, considerando que é “impossível confiar” nos planos da transportadora.

“Será impossível confiar num plano de obra apresentado pela Metro do Porto, cuja imprevisbilidade é uma constante”, pode ler-se na carta que o autarca independente enviou, no dia 04 de janeiro, ao presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, a que a Lusa teve hoje acesso.

Para Rui Moreira, “nada do que foi planeado e apresentado (…) está a ser cumprido” pela Metro do Porto, surgindo ainda “alterações ao que estava anteriormente projetado que vão agravando, ainda mais, as condições de mobilidade e os constrangimentos ao normal funcionamento da cidade”.

Na missiva, Rui Moreira refere-se concretamente às obras da futura linha Rosa (São Bento – Casa da Música) e às do ‘metrobus’ (Casa da Música – Praça do Império).

Desta vez, o presidente da autarquia foca-se particularmente na Avenida do Marechal Gomes da Costa em que, segundo o autarca, “inicialmente, estava prevista uma intervenção leve”, mas “alterou-se o projeto, e (…) tornou-se necessária a construção de uma caixa de pavimento com uma profundidade de um metro em relação ao nível da via pública, o que provocou um atraso de dois meses”.

Publicidade

“É inevitável que se perca toda e qualquer confiança nos cronogramas apresentados, nas soluções construtivas propostas, assim como nas promessas de entrega do espaço público nas datas apresentadas”, considera Rui Moreira.

Para o autarca, “nada segue de acordo com o plano previsto, pelo que o impacto na vida das pessoas e na economia da cidade assume proporções intoleráveis”, pretentendo ainda “sinalização mais eficaz e uma informação mais abrangente e detalhada” sobre os trabalhos em curso.

Na missiva de 04 de janeiro a que a Lusa teve hoje acesso, já depois de ser conhecido que a Metro do Porto não vai fechar o túnel do Campo Alegre durante as obras da Linha Rubi (Casa da Música – Santo Ovídio), suprimindo um acesso pedonal à futura estação na zona, Rui Moreira apresentou um novo calendário de atrasos.

Segundo os serviços da autarquia portuense, na linha Rosa a galeria do Rio da Vila tem um atraso de 621 dias, a estação da Praça da Galiza tem 244 dias de atraso, a do Hospital Santo António 92 dias, na Casa da Música há um atraso de 434 dias, o poço de emergência do Largo Ferreira Lapa conta com 190 dias e o de Miguel Bombarda 488 dias.

Quanto ao ‘metrobus’, Rui Moreira sinalizou a Tiago Braga 162 dias de atraso entre as ruas Dominguez Alvarez e Bessa Leite, 207 dias entre as ruas Agramonte e João de Deus, 140 dias entre Pedro Hispano e Azevedo Coutinho, 177 dias entre São João de Brito e Pinheiro Manso, e 66 dias entre a interceção das avenidas da Boavista e Marechal Gomes da Costa e a rua João de Barros.

Publicidade

Esta é a terceira vez em pouco mais de um ano que Rui Moreira utiliza a carta como meio de se queixar sobre as obras da Metro do Porto.

Em novembro do ano passado, a Câmara do Porto já tinha acusado a Metro do Porto de resvalar para 2025 as obras da linha Rosa, inicialmente previstas para o final deste ano.

Já num ofício enviado em novembro de 2022 ao presidente do Conselho de Administração da Metro do Porto, Rui Moreira já tinha manifestado a sua preocupação com “o impacto profundamente negativo gerado pela empreitada da nova linha do metro” que, defendeu à época, apresentava “excessivos atrasos” em “praticamente todas as frentes”.

A Lusa contactou a Metro do Porto com vista à obtenção de uma reação, e aguarda resposta.

Publicidade
Publicidade
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

REGIÕES

PORTO: FERNANDO MADUREIRA VAI PRESTAR DECLARAÇÕES A JUIZ ESTA SEXTA-FEIRA

O advogado de Fernando e Sandra Madureira, Miguel Marques Oliveira, garantiu que o líder da claque do FC Porto vai prestar declarações no âmbito de um processo que investiga os incidentes ocorridos durante uma Assembleia Geral dos ‘dragões’.

Online há

em

O advogado de Fernando e Sandra Madureira, Miguel Marques Oliveira, garantiu que o líder da claque do FC Porto vai prestar declarações no âmbito de um processo que investiga os incidentes ocorridos durante uma Assembleia Geral dos ‘dragões’.

No entanto, o advogado disse aos jornalistas, à saída do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, que a esposa de Fernando Madureira deverá permanecer em silêncio.

“Há quem lide com a situação de uma forma melhor e há quem lide de uma forma menos aprazível. Poderão não ser prestadas declarações em virtude do estado emocional das pessoas”, começou por explicar Miguel Marques Oliveira.

O advogado esclareceu ainda que serão vários os arguidos que esta sexta-feira estão dispostos a prestar declarações.

“O Fernando Madureira não irá prestar declarações hoje. Irá prestar, em princípio, pela tarde de amanhã [sexta-feira]. Julgo que cinco ou seis vão prestar declarações. Hoje serão apenas dois arguidos”, disse ainda o advogado.

Publicidade

Já a advogada de Fernando Saul, funcionário do FC Porto, também garantiu que o seu cliente está disposto a “esclarecer” os factos e vai prestar declarações esta sexta-feira.

“O meu cliente esteve sempre disposto para prestar declarações, a defesa entendeu que poderia não ser necessário, mas ele quer mesmo esclarecer e tem de o fazer”, referiu Cristiana Carvalho aos jornalistas.

A advogada esclareceu ainda o que está em causa no processo.

“O que está em causa são os acontecimentos na dita Assembleia Geral. Não está mais nada em causa. Existe um outro arguido com mais um crime, de detenção de arma proibida, mas eu não me vou pronunciar sobre isso”, referiu.

Pouco depois saíram do tribunal, numa carrinha da PSP, Fernando e Sandra Madureira em direção à esquadra de Santo Tirso, onde vão pernoitar novamente.

Publicidade

Outros oito arguidos saíram num miniautocarro para também pernoitarem na esquadra.

António Moreira de Sá e Tiago Aguiar são os detidos que ainda vão prestar declarações esta quinta-feira.

LER MAIS

REGIÕES

PORTO: FERNANDO MADUREIRA (MACACO) E VÍTOR CATÃO DETIDOS – POLÍCIA

A PSP está a realizar hoje mais de 10 buscas no Grande Porto e deteve várias pessoas, entre as quais o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, e outros elementos desta claque, indicou à agência Lusa fonte policial.

Online há

em

A PSP está a realizar hoje mais de 10 buscas no Grande Porto e deteve várias pessoas, entre as quais o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, e outros elementos desta claque, indicou à agência Lusa fonte policial.

Segundo a mesma fonte, foi também detido Vítor Catão, adepto do FC do Porto e antigo presidente do São Pedro da Cova, numa operação em que foram emitidos mais de uma dezena de mandados de detenção.

Em causa estão, nomeadamente, processos relacionados com as alegadas agressões verificadas durante a Assembleia Geral do FC Porto que decorreu em 13 de novembro e as eventuais ameaças feitas ao candidato à presidência do clube André Villas-Boas.

Fonte do Comando Metropolitano da PSP do Porto disse à Lusa tratar-se de um processo do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto.

Sem precisar qual o âmbito da operação, a fonte da PSP do Porto confirmou que estão a decorrer “várias diligências”.

Publicidade

Também as viaturas de Fernando Madureira (Macaco), um Porsche e um BMW (entre outras) foram apreendidas.

LER MAIS

MAIS LIDAS