RÁDIO REGIONAL
DESTAQUEINTERNACIONAL

RÚSSIA PREPARA-SE PARA CIBERATAQUES MASSIVOS CONTRA ALIADOS DA UCRÂNIA

nbsp| RÁDIO REGIONAL

Os serviços de inteligência dos Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Canadá e Nova Zelândia possuem informações de que a Rússia se prepara para lançar ciberataques em grande escala contra os aliados da Ucrânia, alertaram na quarta-feira estes países.

Os cinco países, que formam a aliança de serviços secretos “Five Eyes”, especificaram que Moscovo pode usar grupos de `hackers` para lançar ataques contra estados, instituições ou empresas.

“A crescente [informação de] inteligência indica que o Estado russo está a explorar opções para possíveis ciberataques”, destacaram num comunicado conjunto.

Segundo esta aliança, “a invasão russa da Ucrânia pode expor organizações, quer na região, quer em todo o mundo, a atividades cibernéticas maliciosas”.

“Esta atividade pode responder ao custo económico sem precedentes imposto à Rússia e ao apoio material fornecido [à Ucrânia] pelos Estados Unidos ou pelos seus aliados e parceiros”.

Os “Five Eyes” apontam também que “alguns cibercriminosos demonstraram recentemente publicamente lealdade ao Governo russo”.

“Alguns grupos ameaçaram realizar ciberataques contra países e organizações que apoiam materialmente a Ucrânia”, pode ler-se ainda no comunicado.

Washington tem vindo a alertar, desde o início da invasão russa da Ucrânia, para o risco de Moscovo usar como arma os ciberataques contra Kiev e os seus aliados ocidentais, o que ainda não aconteceu.

Esta declaração dos cinco países identifica ainda uma dúzia de grupos de `hackers` propensos a realizar estes ataques, alguns ligados aos serviços de inteligência ou ao Exército russo, outros privados.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de dois mil civis, segundo dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou já a fuga de mais de 12 milhões de pessoas, mais de 5 milhões das quais para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU — a pior crise de refugiados na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

VEJA AINDA:

UCRÂNIA: PORTUGAL VAI RECONSTRUIR ESCOLAS NA REGIÃO DE JITOMIR

Lusa

UCRÂNIA: PELO MENOS 343 CRIANÇAS MORRERAM NA SEQUÊNCIA DA INVASÃO RUSSA

Lusa

PUTIN RESPONDE À NATO E SOBRE A UCRÂNIA ASSEGURA QUE ‘NADA MUDOU’ – GUERRA

Lusa

KIEV SAÚDA ‘POSIÇÃO LÚCIDA’ DA NATO SOBRE A RÚSSIA

Lusa

UCRÂNIA PODE CONTAR COM APOIO DA NATO ‘O TEMPO QUE FOR NECESSÁRIO’ – STOLTENBERG

Lusa

STOLTENBERG: ‘FINLÂNDIA E SUÉCIA TORNARÃO A NATO MAIS FORTE’

Lusa