RÁDIO REGIONAL
MAGAZINE

SER MULHER FICA CARO

nbsp| RÁDIO REGIONAL

Um estudo levado a cabo pela Divisão dos Assuntos do Consumidor de Nova Iorque revela que ser mulher é mais caro do que ser homem. A conclusão surgiu depois de terem sido analisados mais de 800 produtos, lê-se no site Good House Keeping.

No estudo ‘From Cradle to Grave: The Cost of Being a Female Consumer’, os investigadores notaram que os preços dos produtos femininos são, em norma, 7% mais caros do que as versões masculinas. Em alguns casos, diz o site, o preço diferencia em 42%.

E a diferença começa nos brinquedos, sendo os de menina mais caros, como notou a investigação: uma mesma trotineta custava 24,99 dólares na versão masculina e 49,99 dólares na versão masculina. Estamos a falar de 25 dólares de diferença, tal como 22 euros.

Em média, a investigação deparou-se com diferenças de preço na ordem dos 7% no que toca a brinquedos e acessórios, de 4% no que diz respeito à roupa de crianças, de 8% na roupa de mulher e de homem. Também os cuidados de saúde sénior são mais caros para as mulheres (cerca de 8%), assim como os produtos de cuidados pessoais, que na versão feminina custam mais 13%.

nbsp| RÁDIO REGIONAL

VEJA AINDA:

NÚMERO DE MULHERES QUE REALIZOU MAMOGRAFIA AUMENTOU ESTE ANO

Lusa

MULHERES CONTINUAM A GANHAR MENOS 17% QUE OS HOMENS (EM MÉDIA)

Lusa

MAIS DE 25% DAS MULHERES JÁ FOI VÍTIMA DE VIOLÊNCIA POR PARTE DO PARCEIRO – LANCET

Lusa

MULHERES DESEMPREGADAS RECEBEM MENOS 12% DE SUBSÍDIO QUE OS HOMENS

Lusa

COVID-19: NÚMERO DE GRÁVIDAS INFETADAS E SEM VACINA ESTÁ A AUMENTAR NAS MATERNIDADES

Lusa

ESTUDO: CIÊNCIA DESCOBRE ÁREA DO CÉREBRO RELACIONADA COM O CLITÓRIS

Lusa