Ligue-se a nós

DESPORTO

SL BENFICA X SC FARENSE: ANÁLISE DE JOSÉ AUGUSTO SANTOS

Benfica foi de desperdício em desperdício até ao empate final. Mérito do bom jogo do Farense, mas muito demérito de uma equipa que criou muitas oportunidades de golo, fez uma excelente exibição até ao último passe, mas não conseguiu ter eficácia em 36 dos seus 37 remates.

Online há

em

Benfica foi de desperdício em desperdício até ao empate final. Mérito do bom jogo do Farense, mas muito demérito de uma equipa que criou muitas oportunidades de golo, fez uma excelente exibição até ao último passe, mas não conseguiu ter eficácia em 36 dos seus 37 remates.

Entrada forte e determinada do Benfica, que queria afastar os fantasmas de Moreira de Cónegos, com Roger Schmidt a fazer apenas uma alteração, entrada de Kokçu por troca com Florentino para dar maior qualidade de passe e velocidade na circulação no meio-campo e uma maior aproximação à área para explorar a boa meia-distância do turco.

O Benfica foi criando e desperdiçando oportunidades, quase todas pelo lado direito com a capacidade técnica de Di Maria e o envolvimento de Aursnes, o melhor da equipa encarnada. Era até com alguma facilidade que o Benfica entrava e desmontava a organização defensiva do Farense, mas no remate final Rafa esteve desinspirado e Tengstedt ainda não parece ter a experiência e à-vontade com a baliza para ser a principal referência ofensiva de uma equipa da dimensão do Benfica. Até poderá vir a ser, mas neste momento não é.

José Mota fiel ao seu sistema predileto 1-4-3-3, apostou no onze que tinha perdido na jornada anterior, no S. Luís contra o Vitória de Guimarães, uma prova de confiança dada aos jogadores, que tem feito uma excelente época. Contou, na noite de hoje, com a ineficácia do Benfica na finalização e com a inspiração de um guarda-redes a exibir-se em excelente plano, mas demonstrou ter uma equipa muito equilibrada no processo defensivo e capaz de ligar bem o jogo ofensivo com Matheus Oliveira a demonstrar que poderia ter tido outro tipo de carreira, se tivesse sempre a atitude que demonstra esta época. Teve a capacidade de saber sofrer no momento defensivo e o mérito de nunca se desorganizar nunca recorrendo a “autocarros” nem antijogo.

Na segunda parte e na sequência de uma bola parada Falcão, que esteve em bom nível, num bom golpe de cabeça inaugurou o marcador e a instabilidade emocional dos jogadores do Benfica e em especial dos adeptos, que tem expetativas demasiado elevadas para esta época, fez-se sentir e o Benfica que fez uma excelente primeira parte, exceto na finalização, passou o seu pior período.

Publicidade

O técnico alemão substituiu João Neves, que não estava a fazer um bom jogo e o ambiente em torno da equipa piorou, porque os adeptos encarnados não aceitaram a saída de João Neves. Na minha opinião a substituição é bem feita porque o Farense estava em bloco baixo, na tentativa de segurar o resultado e os espaços poderiam aparecer à entrada da área onde Kokçu tem mais facilidade de remate. A integração de João Mário no corredor central seria incluir um jogador forte no último passe e com eficácia no remate. No fundo teria de sair um médio e em teoria a ideia era boa, retirou o que tem menor capacidade de finalização. A realidade é que a equipa mesmo assim reagiu, chegou ao golo do empate depois de uma excelente jogada daqueles que foram os dois melhores do Benfica Di Maria e Aursnes, finalizada pelo perdulário Rafa e ainda com tempo para tentar ganhar.

Faltou discernimento, tranquilidade e frescura física para ultrapassar a boa organização defensiva do Farense e a superior exibição de Ricardo Velho.

No Benfica Aursnes foi o melhor, mesmo numa posição que não é sua, tem uma leitura de jogo e tomada de decisão que o faz fazer quase tudo bem, conseguiu projetar-se para o ataque e fazer várias combinações e cruzamentos perigosos, como no golo de Rafa. Di Maria enquanto teve capacidade física também esteve em bom plano (excelente o duelo com Talocha, com ganhos e perdas) e Otamendi não sabe jogar mal. Morato a lateral esquerdo tem muitas dificuldades no momento ofensivo. Nesse aspeto só esteve bem quando solicitado na área para o seu jogo aéreo. Mas o elo mais fraco acabou por ser Tengstdet.

No Farense Ricardo Velho fez uma exibição para mais tarde recordar, na sequência da espetacular época e evolução do guarda-redes que fez a sua formação no SC de Braga. Falcão marcou um bom golo e controlou bem o corredor central sendo um excelente apoio aos defesas centrais e Matheus Oliveira demonstrou classe e capacidade de remate. Nota também para o esforçado Bruno Duarte que me parece num nível superior ao que tinha no Vitória. Mérito de José Mota.

O árbitro Miguel Nogueira acertou quase sempre e apitou pouco o que favoreceu a dinâmica e o tempo útil de jogo. Na minha opinião fica um penalti por marcar por mão de Otamendi que de forma casual, mas com o braço aberto toca na bola. Admito a dúvida do árbitro, mas com recurso às imagens Tiago Martins que estava no VAR poderia e deveria ter dado a indicação da infração.

Publicidade

José Augusto Santos, Comentador Desportivo e Treinador de Futebol Nível IV UEFA Pro.

Publicidade
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

DESPORTO

SC BRAGA: JOÃO MARQUES É NOVO REFORÇO POR 3,5 MILHÕES

João Marques, do Estoril Praia, vai ser jogador do Sporting de Braga a partir da próxima temporada por 3,5 milhões de euros, revelou hoje o clube minhoto, quarto classificado da I Liga de futebol.

Online há

em

João Marques, do Estoril Praia, vai ser jogador do Sporting de Braga a partir da próxima temporada por 3,5 milhões de euros, revelou hoje o clube minhoto, quarto classificado da I Liga de futebol.

A esse valor, por 100 por cento do passe, poderá acrescer um milhão de euros mediante objetivos individuais, sendo que os estorilistas reservam ainda 10 por cento da mais-valia de uma futura transferência do jogador.

João Marques, que cumpre 22 anos dentro de poucos dias, permanecerá no Estoril Praia até ao final da presente época, integrando o plantel dos ‘arsenalistas’ no arranque da próxima temporada (2024/25).

Internacional sub-21 por Portugal, o médio ofensivo assina um contrato válido por cinco épocas (até 2029), tendo sido fixada uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros.

Formado no Sporting, Barreirense, Vitória de Setúbal e Estoril Praia, João Marques soma 28 jogos esta época, seis golos e cinco assistências.

Publicidade
LER MAIS

DESPORTO

SL BENFICA: PETAR MUSA DEIXA PORTUGAL E SEGUE PARA O FC DALLAS (EUA)

O avançado internacional croata Petar Musa está de saída do Benfica, depois de época e meia ao serviço das ‘águias’, para reforçar a equipa de futebol dos norte-americanos do FC Dallas, informaram hoje os dois clubes.

Online há

em

O avançado internacional croata Petar Musa está de saída do Benfica, depois de época e meia ao serviço das ‘águias’, para reforçar a equipa de futebol dos norte-americanos do FC Dallas, informaram hoje os dois clubes.

“O Sport Lisboa e Benfica informa que chegou a acordo com o FC Dallas, dos Estados Unidos, para a transferência a título definitivo do futebolista Musa”, referem os ‘encarnados’ no seu site oficial.

Apesar de nenhum dos clubes revelar os valores envolvidos no negócio, a comunicação social portuguesa e internacional adianta que a saída de Petar Musa, de 25 anos, deverá render ao Benfica uma verba na ordem dos 10 milhões de euros (ME), mais três em variáveis, sendo que o emblema da Liga norte-americana (MLS) refere que se trata de “uma transferência recorde”.

Através da sua página oficial na Internet, o FC Dallas informou ainda que o ponta de lança croata assinou contrato até 2027, com a possiblidade de prolongar o vínculo por mais um ano.

O futebolista croata, que pelo Benfica venceu a I Liga (2022/23) e a Supertaça (2023), chegou à Luz na última época, proveniente do Boavista, num negócio que terá custado 6,5 ME, segundo o relatório e contas dos ‘encarnados’.

Publicidade

Sem nunca se afirmar verdadeiramente como primeira opção, Musa participou em 41 jogos na época de estreia pelas ‘águias’, apenas cinco dos quais a titular, e marcou 12 golos e fez quatro assistências.

Já esta temporada, igualmente muitas vezes a sair do banco, o avançado participou em 25 jogos (nove como titular), marcou seis golos e fez duas assistências.

Com a contratação, neste mercado de janeiro, do avançado brasileiro Marcos Leonardo (ex-Santos), num plantel que conta ainda com Arthur Cabral e Casper Tengstedt, o croata perdeu ainda mais espaço.

Além de Marcos Leonardo, o Benfica reforçou o plantel com o lateral espanhol Álvaro Carreras e os extremos argentinos Benjamín Rollheiser e Gianluca Prestianni.

Além de Musa, saíram os defesas João Victor, contratado pelo Vasco da Gama, e David Jurásek, cedido ao Hoffenheim, o médio Chiquinho saiu para o Olympiacos e o extremo Gonçalo Guedes, que estava cedido pelo Wolverhampton, rumou ao Villarreal.

Publicidade
LER MAIS

MAIS LIDAS