Ligue-se a nós

DESPORTO

SPORTING CP X GIL VICENTE FC: ANÁLISE DE JOSÉ AUGUSTO SANTOS

Sporting motivado por se isolar no 1º lugar entrou forte, mas só no final da primeira e no início da segunda parte resolveu o jogo. Com uma pontinha de sorte no golo do empate perto do intervalo e uma excelente dinâmica que o seu trio mais ofensivo, Pedro Gonçalves, Viktor Gyokeres e Marcus Edwards imprimiu e que a organização defensiva do Gil Vicente não teve “pedalada” para contrariar.

Online há

em

Sporting motivado por se isolar no 1º lugar entrou forte, mas só no final da primeira e no início da segunda parte resolveu o jogo. Com uma pontinha de sorte no golo do empate perto do intervalo e uma excelente dinâmica que o seu trio mais ofensivo, Pedro Gonçalves, Viktor Gyokeres e Marcus Edwards imprimiu e que a organização defensiva do Gil Vicente não teve “pedalada” para contrariar.

O Sporting apresentou a sua estrutura habitual de 3 centrais, Diomande, Coates e Gonçalo Inácio, com Nuno Santos e Ricardo Esgaio, nos corredores laterais, a dar largura e profundidade ao seu jogo ofensivo, dominou o período inicial, pressionou o último reduto gilista, mas à exceção do golo anulado a Gyokeres não criou grandes oportunidades para marcar.

O Gil Vicente com um bloco baixo tentou impedir o Sporting de criar oportunidades e aos poucos tentou retirar a bola à equipa leonina com a capacidade de circulação de Pedro Tiba, que não teve o acompanhamento de jogadores dotados tecnicamente como Fujimoto e Maxime Dominguez, o que retirou capacidade e critério na manutenção da posse e na saída para as transições. Murilo nunca foi bem solicitado e o jovem e promissor ponta-de-lança Miguel Monteiro foi presa fácil para Coates.

Apesar do domínio sportinguista o Gil foi ficando mais confortável com bola e na sequência de um lance de bola parada inaugurou o marcador pelo seu melhor jogador o capitão Rúben Fernandes na sequência de um livre lateral bem executado por Murilo. O Sporting acusou o golo sofrido e numa fase importante do jogo em que demonstrou algum nervosismo, também provocado pelo público, acabou por chegar ao empate com alguma sorte no remate de Nuno Santos que não levava a direção da baliza, a bola desviou em Pedro Tiba e tornou impossível a defesa de Andrew. Esse golo foi extremamente importante para a equipa leonina.

Ruben Amorim ao intervalo trocou os 2 jogadores dos corredores laterais que até estavam a fazer um bom jogo e desta vez a entrada de Geny Catamo não teve o impacto habitual. A entrada fulgurante e subida de rendimento de Pedro Gonçalves a combinar bem com os dois colegas de ataque que já na primeira parte tinham estado em bom plano, acabou por desbaratar por completo a organização defensiva do Gil com os seus jogadores a não terem velocidade para contrariar a movimentação dos atacantes leoninos. Gyokeres marca 2 golos em 10 minutos.

Publicidade

O 3-1 é a melhor jogada do desafio com a solicitação de Edwards a Pedro Gonçalves que com um passe de morte assiste o ponta de lança sueco que apareceu no sítio certo a finalizar e a decidir o jogo. Depois geriu a vantagem com o único atrativo dessa fase do jogo a ser os duelos do avançado sueco com os defesas gilistas e a sua tentativa de marcar o hat-trick.

Os dois técnicos foram alterando a equipa com Ruben Amorim a gerir jogadores e a vantagem no marcador e Vítor Campelos à procura de outro tipo de soluções e características ofensivas na tentativa de marcar um golo e reentrar na discussão do resultado, mas nenhuma das alterações surtiu efeito.

O melhor do jogo foi Gyokeres pelos 2 golos que marcou, pelo que correu, jogou e fez jogar. Marcus Edwards também esteve em bom plano, com a sua movimentação e imprevisibilidade e Pedro Gonçalves melhorou muito na segunda parte, o passe para o 3º golo é sublime.

No Gil só Rúben Fernandes e Pedro Tiba se exibiram em bom plano. A equipa caiu muito de rendimento em relação à fase inicial da época e as alterações de Vítor Campelos, nos últimos jogos, nomeadamente as saídas do 11 inicial de Gabriel Pereira, Buta e Martim Neto, depois da derrota em Famalicão e a lesão de Depú fragilizaram a equipa.

Claúdio Pereira teve um critério largo que favoreceu a dinâmica do jogo. Os responsáveis gilistas pediram falta no primeiro e segundo golo sem razão.

Publicidade

Os jogadores que atuam no campeonato português terão de se adaptar a esta forma de gerir os jogos porque este género de contactos no futebol europeu não é assinalado falta. Este critério favorece o tempo útil de jogo, um problema do campeonato português e adapta as equipas ao contexto que encontram quando participam nas competições europeias.


José Augusto Santos, Comentador Desportivo e Treinador de Futebol Nível IV UEFA Pro.

Publicidade
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

DESPORTO

SC BRAGA: JOÃO MARQUES É NOVO REFORÇO POR 3,5 MILHÕES

João Marques, do Estoril Praia, vai ser jogador do Sporting de Braga a partir da próxima temporada por 3,5 milhões de euros, revelou hoje o clube minhoto, quarto classificado da I Liga de futebol.

Online há

em

João Marques, do Estoril Praia, vai ser jogador do Sporting de Braga a partir da próxima temporada por 3,5 milhões de euros, revelou hoje o clube minhoto, quarto classificado da I Liga de futebol.

A esse valor, por 100 por cento do passe, poderá acrescer um milhão de euros mediante objetivos individuais, sendo que os estorilistas reservam ainda 10 por cento da mais-valia de uma futura transferência do jogador.

João Marques, que cumpre 22 anos dentro de poucos dias, permanecerá no Estoril Praia até ao final da presente época, integrando o plantel dos ‘arsenalistas’ no arranque da próxima temporada (2024/25).

Internacional sub-21 por Portugal, o médio ofensivo assina um contrato válido por cinco épocas (até 2029), tendo sido fixada uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros.

Formado no Sporting, Barreirense, Vitória de Setúbal e Estoril Praia, João Marques soma 28 jogos esta época, seis golos e cinco assistências.

Publicidade
LER MAIS

DESPORTO

SL BENFICA: PETAR MUSA DEIXA PORTUGAL E SEGUE PARA O FC DALLAS (EUA)

O avançado internacional croata Petar Musa está de saída do Benfica, depois de época e meia ao serviço das ‘águias’, para reforçar a equipa de futebol dos norte-americanos do FC Dallas, informaram hoje os dois clubes.

Online há

em

O avançado internacional croata Petar Musa está de saída do Benfica, depois de época e meia ao serviço das ‘águias’, para reforçar a equipa de futebol dos norte-americanos do FC Dallas, informaram hoje os dois clubes.

“O Sport Lisboa e Benfica informa que chegou a acordo com o FC Dallas, dos Estados Unidos, para a transferência a título definitivo do futebolista Musa”, referem os ‘encarnados’ no seu site oficial.

Apesar de nenhum dos clubes revelar os valores envolvidos no negócio, a comunicação social portuguesa e internacional adianta que a saída de Petar Musa, de 25 anos, deverá render ao Benfica uma verba na ordem dos 10 milhões de euros (ME), mais três em variáveis, sendo que o emblema da Liga norte-americana (MLS) refere que se trata de “uma transferência recorde”.

Através da sua página oficial na Internet, o FC Dallas informou ainda que o ponta de lança croata assinou contrato até 2027, com a possiblidade de prolongar o vínculo por mais um ano.

O futebolista croata, que pelo Benfica venceu a I Liga (2022/23) e a Supertaça (2023), chegou à Luz na última época, proveniente do Boavista, num negócio que terá custado 6,5 ME, segundo o relatório e contas dos ‘encarnados’.

Publicidade

Sem nunca se afirmar verdadeiramente como primeira opção, Musa participou em 41 jogos na época de estreia pelas ‘águias’, apenas cinco dos quais a titular, e marcou 12 golos e fez quatro assistências.

Já esta temporada, igualmente muitas vezes a sair do banco, o avançado participou em 25 jogos (nove como titular), marcou seis golos e fez duas assistências.

Com a contratação, neste mercado de janeiro, do avançado brasileiro Marcos Leonardo (ex-Santos), num plantel que conta ainda com Arthur Cabral e Casper Tengstedt, o croata perdeu ainda mais espaço.

Além de Marcos Leonardo, o Benfica reforçou o plantel com o lateral espanhol Álvaro Carreras e os extremos argentinos Benjamín Rollheiser e Gianluca Prestianni.

Além de Musa, saíram os defesas João Victor, contratado pelo Vasco da Gama, e David Jurásek, cedido ao Hoffenheim, o médio Chiquinho saiu para o Olympiacos e o extremo Gonçalo Guedes, que estava cedido pelo Wolverhampton, rumou ao Villarreal.

Publicidade
LER MAIS

MAIS LIDAS