RÁDIO REGIONAL
CIÊNCIA & TECNOLOGIA

YOUTUBE REMOVE MAIS DE UM MILHÃO DE VÍDEOS COM ALEGADAS ‘FAKE NEWS’

nbsp| RÁDIO REGIONAL

A plataforma YouTube removeu, desde fevereiro de 2020, mais de um milhão de vídeos com informação perigosa e falsa sobre o novo coronavírus, revelou num ‘post’ o YouTube’s ‘Chief Product Officer’, Neil Mohan.

A plataforma, em comunicado hoje divulgado, adianta que conta com “o consenso” de especialistas de organizações de saúde, como o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) e a Organização Mundial de Saúde (OMS), “para acompanhar a ciência” à medida que evolui, e para identificar “com base em factos” conteúdos mal intencionados.

O YouTube, segundo o ‘post’ (publicação), removeu quase 10 milhões de vídeos por trimestre, a maioria nem chegou a ter 10 visualizações, enaltecendo Neil Mohan o empenho da empresa em combater a desinformação “perigosa sobre o coronavírus”, numa altura em que as redes sociais são acusadas de contribuir para a disseminar ideias enganadoras sobre a covid-19 e as vacinas.

No início deste mês, o canal de TV propriedade do magnata Rupert Murdoch anunciou a suspensão da sua plataforma de partilha de vídeos, por uma semana, da Sky News Austrália, por alegadas informações falsas sobre a covid-19.

“Temos políticas claras estabelecidas sobre informações falsas sobre a covid-19 (…) para evitar a disseminação de informações falsas sobre o coronavírus que podem prejudicar o mundo real”, explicou a plataforma em comunicado divulgado em 01 de agosto.

Com 1,86 milhões de assinantes no YouTube, o canal pertence a uma subsidiária do grupo de News Corp de Murdoch e em alguns dos vídeos que coloca, partilhados nas redes sociais, é questionada a existência da pandemia e a eficácia das vacinas.

O YouTube recorre a três tipos de penas: suspensão de uma semana, suspensão de duas semanas para ofensa reincidente em 90 dias e remoção permanente da plataforma.

A plataforma de vídeo do YouTube é propriedade da Alphabet, a empresa-mãe do Google.

VEJA AINDA:

APAV LANÇA CAMPANHA DE SENSIBILIZAÇÃO SOBRE A VIOLÊNCIA ONLINE

Lusa

O FACEBOOK É A REDE SOCIAL DOMINANTE ENTRE OS PORTUGUESES – ESTUDO

Lusa

FACEBOOK EXPANDE POLÍTICAS CONTRA ASSÉDIO DE FIGURAS PÚBLICAS

Lusa

APLICAÇÕES DO FACEBOOK REVELAM FALHAS DE ACESSO ALGUNS DIAS DEPOIS DO APAGÃO

Lusa

COMUNICAÇÃO SOCIAL PERDE MAIS DE 3,5 MILHÕES EM AGOSTO COM PARTILHAS EM REDES SOCIAIS

Lusa

PORTUGAL ACIMA DA MÉDIA DA UE NO ACESSO NOTÍCIAS ‘ONLINE’ EM 2020

Lusa