AVEIRO: PREDADOR SEXUAL CONDENADO A 15 ANOS DE PRISÃO

O Tribunal de Aveiro condenou hoje a 15 anos de prisão um homem de 48 anos por vários crimes sexuais de que foram vítimas três raparigas, incluindo uma menor de 11 anos e uma jovem portadora de incapacidade física.

O Tribunal de Aveiro condenou hoje a 15 anos de prisão um homem de 48 anos por vários crimes sexuais de que foram vítimas três raparigas, incluindo uma menor de 11 anos e uma jovem portadora de incapacidade física.

A pena única resultou do cúmulo jurídico das penas parcelares aplicadas ao arguido por três crimes de coação sexual, um dos quais na forma tentada, um de importunação sexual, um de sequestro e outro de violação.

Além da pena de prisão, o arguido, que se encontra sujeito à medida de coação de prisão preventiva, foi também condenado a pagar às ofendidas a quantia total de 10.500 euros.

O arguido está ainda proibido de exercer qualquer profissão que envolva contacto regular com menores e de assumir confiança de menores pelo período de 15 anos.

A juíza presidente referiu que, durante o julgamento, que decorreu à porta fechada, o arguido não admitiu os factos, realçando que o mesmo “tem uma personalidade definida pelos técnicos que coloca muitas reservas e riscos de repetição deste tipo de condutas, todas elas muito graves e com vítimas vulneráveis”.

O suspeito, que já tem condenações anteriores pela prática de crimes de atentado ao pudor, abuso sexual de crianças, furto, tráfico de droga e violência doméstica, é definido pelo Ministério Público (MP) como um “predador sexual” que seleciona as suas vítimas, baseado na sua vulnerabilidade.

O primeiro episódio ocorreu na madrugada do dia 28 de janeiro de 2017, quando o arguido abordou uma rapariga de 23 anos junto à praça do peixe em Aveiro, quando esta se dirigia para a sua viatura depois de ter estado a consumir bebidas alcoólicas.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), o arguido obrigou a vítima a entrar para a sua viatura, através do uso da força, tendo aquela perdido a consciência. De seguida, dirigiu-se para um local ermo, situado nas imediações, onde a violou.

O segundo caso ocorreu em fevereiro de 2018, em Anadia, no distrito de Aveiro, e teve como vítima uma menina de 11 anos que se dirigia a pé da escola para casa. De acordo com o MP, o arguido empurrou a menina para uma zona de pinhal e abusou dela sexualmente, colocando-se de seguida em fuga.

Em agosto do mesmo ano, o arguido sequestrou e coagiu sexualmente uma rapariga de 26 anos portadora de incapacidade física, a quem deu boleia, em Oliveira do Bairro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.