RÁDIO REGIONAL
CIÊNCIA & TECNOLOGIA

COIMBRA: HOSPITAIS SUBSTITUEM VÁLVULA NO CORAÇÃO POR MÉTODO NÃO INVASIVO

nbsp| RÁDIO REGIONAL

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) realizou, pela primeira vez, a substituição de uma prótese valvular no coração de uma doente que não podia ser novamente sujeita a cirurgia, por método não invasivo, foi anunciado esta segunda-feira.

A doente sofria de “regurgitação valvular tricúspide grave e sintomática” e já lhe tinha sido aplicada uma prótese, pelo que não podia ser novamente operada devido ao elevado risco, referiu a unidade hospitalar, em comunicado.

“O procedimento consistiu na colocação de uma prótese valvular biológica por via minimamente invasiva não cirúrgica, com vista ao tratamento da regurgitação valvular tricúspide grave e sintomática”, explicou a nota.

A intervenção foi realizada com sucesso pela equipa de cardiologia de intervenção do Serviço de Cardiologia do CHUC, constituída por Marco Costa, Luis Paiva e Manuel Santos, com o apoio do Serviço de Cirurgia Cardíaca.

A substituição da válvula tricúspide “vai permitir a esta doente a melhoria das queixas de insuficiência cardíaca, o aumento da sua qualidade de vida e a redução do risco de reinternamento hospitalar”.

“A regurgitação desta válvula cardíaca provoca o refluxo de sangue do ventrículo direito para a aurícula direita, tendo impacto na qualidade de vida destes doentes, que referem dificuldade progressiva para realizar esforços físicos, edemas generalizados no corpo e predisposição a internamentos hospitalares frequentes por descompensação cardíaca”, refere Lino Gonçalves, diretor do Serviço de Cardiologia.

O médico salienta que, “tradicionalmente, as opções de correção da insuficiência tricúspide estavam limitadas à cirurgia cardíaca”.

“Em alguns casos, os resultados da cirurgia à válvula tricúspide não eram duradouros e uma reoperação representaria um risco cirúrgico muito elevado ou até proibitivo para o doente, pelo que uma opção terapêutica menos invasiva possibilita o tratamento de mais doentes com esta patologia, sobretudo naqueles mais idosos, frágeis e com elevado risco cirúrgico”, disse.

VEJA AINDA:

LAMEGO: ESPERAM-SE DEZENAS DE MILHARES NAS FESTAS DA SENHORA DOS REMÉDIOS

Lusa

TRÁS-OS-MONTES: CIM DESAFIA GOVERNO A DESCENTRALIZAR GESTÃO DA ÁGUA

Lusa

COIMBRA: AUTARQUIAS PONDERAM CONCERTAÇÃO PARA DEFENDER INTERESSES REGIONAIS

Lusa

UTAD CRIA UM SISTEMA ‘VIGILANTE FLORESTAL’ PARA DETEÇÃO DE INCÊNDIOS

Lusa

ESTUDO: BEBER CERVEJA FAZ BEM AOS INTESTINOS E NÃO ENGORDA

Lusa

VISEU: JUDICIÁRIA DETEVE UM HOMEM SUSPEITO DE SEQUESTRAR UMA MULHER

Lusa