Ligue-se a nós

REGIÕES

COVID-19: NOVOS CASOS DE INFEÇÃO AUMENTARAM MAIS DE 30% EM 21 CONCELHOS DO NORTE

O número de novos casos de infeção por SARS-CoV-2 aumentou mais de 30% em 21 concelhos do Norte entre a segunda e terceira semana de novembro, revela um relatório da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N).

Online há

em

O número de novos casos de infeção por SARS-CoV-2 aumentou mais de 30% em 21 concelhos do Norte entre a segunda e terceira semana de novembro, revela um relatório da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N).

De acordo com documento a que a Lusa teve hoje acesso, dos 21 concelhos do Norte que, naquele período, registaram um crescimento superior a 30% de novas infeções, seis pertencem ao distrito de Bragança, cujo crescimento é de 41%.

O boletim, o mais recente da ARS-N, reporta a situação epidemiológica nos concelhos da região entre a primeira (03 a 09) e a terceira semana de novembro (17 a 23).

Entre os seis municípios com maior crescimento do número de novos casos, destacam-se Miranda do Douro, com uma subida de 408% (passando de 13 para 66 novos casos), Freixo de Espada à Cinta com 149% (35 para 87), Vimioso com 122% (9 para 20) e Macedo de Cavaleiros com 84% (49 para 90).

Ao distrito de Bragança, sucede-se o distrito de Braga, que contabiliza um crescimento de 16% do número de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2.

Publicidade

Braga tem cinco dos seus concelhos a registarem esta tendência: Póvoa de Lanhoso (mais 64% de novos casos), Cabeceiras de Basto (mais 58%), Vieira do Minho (56%), Braga (41%) e Celorico de Basto (33%).

No distrito de Viana do Castelo, cujo crescimento se fixa nos 19%, o relatório N indica que os concelhos de Arcos de Valdevez, Monção, Ponte da Barca e Viana do Castelo seguiram esta trajetória de crescimento, com 37%, 143%, 75% e 58%, respetivamente.

Em Vila Real, distrito que contabiliza uma subida de 20% de novos casos, destacam-se Valpaços com um crescimento de 143% (de 43 para 96 novos casos), Murça com 107% (15 para 31) e Chaves com 78% (178 para 317).

O relatório indica ainda que no distrito do Porto é o único da região Norte que regista um decréscimo de 10% do número de novos casos de infeção.

Olhando para os concelhos do distrito do Porto, os concelhos de Baião e da Póvoa do Varzim registam subidas de novos casos acima dos 30%, com 62% e 41% de crescimento, respetivamente.

Publicidade

Ainda no distrito do Porto, o concelho da Trofa cresceu 11%, Vila do Conde 10% e Amarante 2%.

O distrito de Aveiro, onde a ARS-N abrange sete concelhos, foi o único a Norte que não registou aumento ou diminuição de novos casos (0%).

Neste distrito, apenas o concelho de Espinho cresceu acima dos 30%.

De acordo com o boletim, Espinho cresceu 37% em novos casos, passando de 180 na segunda semana de novembro para 246 novos casos na terceira.

A par destes 21 municípios, o relatório da ARS-N revela que 15 concelhos da região Norte tiveram um crescimento entre os 10 e 30%.

Publicidade

Paralelamente, 23 concelhos da região Norte registaram um decréscimo do numero de novos casos de infeção pelo novo coronavírus, sendo que em seis (Vizela, Mogadouro, Paços de Ferreira, Caminha, Ribeira de pena e Sabrosa) a diminuição foi superior a 30%.

Portugal contabiliza pelo menos 4.127 mortos associados à covid-19 em 274.011 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 08 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana e feriados a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

Publicidade
Publicidade
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

REGIÕES

VILA REAL: IDOSA MORRE EM INCÊNDIO NUMA HABITAÇÃO EM VILARINHO

Uma idosa morreu hoje na sequência de um incêndio que deflagrou numa habitação em Vilarinho, no concelho de Vila Real, disse o comandante dos bombeiros da Cruz Branca.

Online há

em

Uma idosa morreu hoje na sequência de um incêndio que deflagrou numa habitação em Vilarinho, no concelho de Vila Real, disse o comandante dos bombeiros da Cruz Branca.

Orlando Matos afirmou à agência Lusa que a irmã da vítima ficou em estado de choque, foi considerada ferida ligeira e transportada para observação ao Hospital de Vila Real.

O comandante referiu que a vítima mortal tem uma idade compreendida entre os 70 e os 80 anos e que o óbito foi declarado no local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), do INEM.

O alerta para o incêndio foi dado pela irmã da idosa pelas 01:30 e, segundo Orlando Matos, quando os meios chegaram ao local a habitação estava tomada pelas chamas.

O fogo, acrescentou, terá tido início no quarto da vítima, onde esta foi encontrada pelos bombeiros, e as causas que estiveram na sua origem vão ser investigadas pela Polícia Judiciária (PJ), que esteve no local durante a madrugada.

Publicidade

Para o combate ao incêndio foram mobilizados 16 bombeiros da Cruz Branca, com cinco viaturas, e ainda militares da GNR.

A aldeia de Vilarinho pertence à União de Freguesias de Pena, Quintã e Vila Cova, no concelho de Vila Real.

LER MAIS

REGIÕES

MIRANDELA: ACIDENTE DE TRABALHO MATA HOMEM “SOTERRADO” EM BETÃO

Um homem de 49 anos morreu soterrado esta tarde num acidente de trabalho numa empresa de pré-fabricados de betão, em Vila Nova das Patas, concelho de Mirandela, disse à Lusa fonte dos bombeiros locais.

Online há

em

Um homem de 49 anos morreu soterrado esta tarde num acidente de trabalho numa empresa de pré-fabricados de betão, em Vila Nova das Patas, concelho de Mirandela, disse à Lusa fonte dos bombeiros locais.

“Foi um acidente de trabalho às 15:12. Era um trabalhador da fábrica Pavimir. Supostamente terá caído numa máquina de receção de betão, tendo ficado submerso. Aliás, o alerta foi para um soterrado, o trabalhador ficou submerso com o betão”, indicou o comandante dos Bombeiros Voluntários de Mirandela, Luís Soares.

O comandante adiantou ainda que foram os colegas a encontrar o homem, que estranharam a ausência prolongada da vítima. À chegada do socorro, o trabalhador foi retirado da máquina pelos bombeiros, já em paragem cardiorrespiratória.

O óbito foi declarado ainda na empresa pela equipa médica do helicóptero do INEM de Macedo de Cavaleiros, chamada também para a ocorrência.

Luís Soares explicou ainda que se trata de uma estrutura recetora de betão, com alguma dimensão.

Publicidade

Foi ativado apoio psicológico para colegas e familiares.

A Guarda Nacional Republicana esteve local, tendo comunicado os factos ao tribunal e à Autoridade para as Condições de Trabalho.

LER MAIS

MAIS LIDAS