Ligue-se a nós

REGIÕES

EDP: TRABALHADORES MANIFESTARAM-SE PELA VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL – LISBOA

Centenas de trabalhadores da EDP protestaram hoje em Lisboa, junto à sede da empresa, pela valorização das carreiras, no mesmo dia em que cumprem uma greve de 24 horas.

Online há

em

Centenas de trabalhadores da EDP protestaram hoje em Lisboa, junto à sede da empresa, pela valorização das carreiras, no mesmo dia em que cumprem uma greve de 24 horas.

Cerca das 12:00, algumas centenas de trabalhadores da EDP vindos de vários pontos do país, vestidos com os casacos e capacetes de trabalho, juntaram-se frente à sede da empresa, ao som de bombos e assobios, para exigir a valorização das carreiras.

“Para os acionistas milhões, para nós tostões” ou “basta de rasteiras, valorizem as carreiras” foram algumas das palavras de ordem que se ouviram durante o protesto, onde não faltou também o “Grândola, Vila Morena”, de Zeca Afonso.

Os trabalhadores da EDP têm estado em greve ao trabalho suplementar desde dezembro de 2023 e marcaram a greve de hoje em todas as empresas do grupo, “pela correção de injustiças e pela valorização da experiência profissional”, conforme refere o comunicado da Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Elétricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas – CGTP-IN (Fiequimetal).

Também o Sindicato Nacional da Indústria e Energia (Sindel), filiado na UGT, sublinhou, em comunicado, que a EDP “tem-se mostrado alheia e sem colocar soluções em cima da mesa” para as reivindicações dos trabalhadores e que “esta situação levou à união dos trabalhadores, e à vontade de demonstrar o seu desagrado”.

Publicidade

Os trabalhadores exigem subidas nas bases remuneratórias e generalização da remuneração por antiguidade, as chamadas diuturnidades, e destacam os lucros de 956 milhões de euros registados pela empresa nos primeiros nove meses de 2023 (mais 83% do que no mesmo período de 2022).

Em declarações à Lusa, o secretário-geral do Sindel, Rui Miranda, explicou que andam a alertar a EDP há dois anos para o conflito que ia criar com as recentes contratações.

“A EDP foi ao mercado de trabalho e admitiu recentemente trabalhadores a ganhar mais do que os que estão cá há 10 anos, gerou uma contestação bastante grande e não quis depois sentar-se com os sindicatos de forma séria para tratar destes trabalhadores”, apontou o dirigente sindical.

Já o coordenador da Fiequimetal, Rogério Silva, garantiu que a proposta dos sindicatos para resolver o diferendo é “exequível” e acusou a empresa de simular que negoceia.

“[A nossa proposta] tem um custo anual de 15 milhões de euros, está perfeitamente ao seu alcance [da EDP], só não o faz porque quer alimentar o corte geracional e aplicar condições de trabalho niveladas por baixo aos mais novos”, realçou o sindicalista, acusando a empresa de estar a contribuir para que os jovens saiam da empresa e emigrem.

Publicidade

Para Tiago Flores, técnico eletricista que ganha cerca de mil euros de ordenado, o problema resolvia-se com o pagamento das antiguidades, permitindo que a empresa continuasse a contratar sem afetar os profissionais que já tinha.

“Temos ‘n’ acidentes todos os anos […] com esta atividades, nem subsídio de risco temos”, acrescentou o trabalhador.

No final do protesto, os representantes dos trabalhadores entregaram na empresa um documento assinado por todos os sindicatos, onde estão expressas as suas reivindicações.

Publicidade
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

REGIÕES

PORTO: FERNANDO MADUREIRA VAI PRESTAR DECLARAÇÕES A JUIZ ESTA SEXTA-FEIRA

O advogado de Fernando e Sandra Madureira, Miguel Marques Oliveira, garantiu que o líder da claque do FC Porto vai prestar declarações no âmbito de um processo que investiga os incidentes ocorridos durante uma Assembleia Geral dos ‘dragões’.

Online há

em

O advogado de Fernando e Sandra Madureira, Miguel Marques Oliveira, garantiu que o líder da claque do FC Porto vai prestar declarações no âmbito de um processo que investiga os incidentes ocorridos durante uma Assembleia Geral dos ‘dragões’.

No entanto, o advogado disse aos jornalistas, à saída do Tribunal de Instrução Criminal do Porto, que a esposa de Fernando Madureira deverá permanecer em silêncio.

“Há quem lide com a situação de uma forma melhor e há quem lide de uma forma menos aprazível. Poderão não ser prestadas declarações em virtude do estado emocional das pessoas”, começou por explicar Miguel Marques Oliveira.

O advogado esclareceu ainda que serão vários os arguidos que esta sexta-feira estão dispostos a prestar declarações.

“O Fernando Madureira não irá prestar declarações hoje. Irá prestar, em princípio, pela tarde de amanhã [sexta-feira]. Julgo que cinco ou seis vão prestar declarações. Hoje serão apenas dois arguidos”, disse ainda o advogado.

Publicidade

Já a advogada de Fernando Saul, funcionário do FC Porto, também garantiu que o seu cliente está disposto a “esclarecer” os factos e vai prestar declarações esta sexta-feira.

“O meu cliente esteve sempre disposto para prestar declarações, a defesa entendeu que poderia não ser necessário, mas ele quer mesmo esclarecer e tem de o fazer”, referiu Cristiana Carvalho aos jornalistas.

A advogada esclareceu ainda o que está em causa no processo.

“O que está em causa são os acontecimentos na dita Assembleia Geral. Não está mais nada em causa. Existe um outro arguido com mais um crime, de detenção de arma proibida, mas eu não me vou pronunciar sobre isso”, referiu.

Pouco depois saíram do tribunal, numa carrinha da PSP, Fernando e Sandra Madureira em direção à esquadra de Santo Tirso, onde vão pernoitar novamente.

Publicidade

Outros oito arguidos saíram num miniautocarro para também pernoitarem na esquadra.

António Moreira de Sá e Tiago Aguiar são os detidos que ainda vão prestar declarações esta quinta-feira.

LER MAIS

REGIÕES

PORTO: FERNANDO MADUREIRA (MACACO) E VÍTOR CATÃO DETIDOS – POLÍCIA

A PSP está a realizar hoje mais de 10 buscas no Grande Porto e deteve várias pessoas, entre as quais o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, e outros elementos desta claque, indicou à agência Lusa fonte policial.

Online há

em

A PSP está a realizar hoje mais de 10 buscas no Grande Porto e deteve várias pessoas, entre as quais o líder dos Super Dragões, Fernando Madureira, e outros elementos desta claque, indicou à agência Lusa fonte policial.

Segundo a mesma fonte, foi também detido Vítor Catão, adepto do FC do Porto e antigo presidente do São Pedro da Cova, numa operação em que foram emitidos mais de uma dezena de mandados de detenção.

Em causa estão, nomeadamente, processos relacionados com as alegadas agressões verificadas durante a Assembleia Geral do FC Porto que decorreu em 13 de novembro e as eventuais ameaças feitas ao candidato à presidência do clube André Villas-Boas.

Fonte do Comando Metropolitano da PSP do Porto disse à Lusa tratar-se de um processo do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto.

Sem precisar qual o âmbito da operação, a fonte da PSP do Porto confirmou que estão a decorrer “várias diligências”.

Publicidade

Também as viaturas de Fernando Madureira (Macaco), um Porsche e um BMW (entre outras) foram apreendidas.

LER MAIS

MAIS LIDAS