Ligue-se a nós

REGIÕES

FÁTIMA: LIMITE DE SEIS MIL PESSOAS MARCA PEREGRINAÇÃO

O limite de cerca de seis mil pessoas nos 48 mil metros quadrados do recinto de oração do Santuário de Fátima, imposto devido à pandemia da Covid-19, marca as celebrações da Peregrinação Internacional Aniversária que esta tem início esta segunda-feira.

Online há

em

blank

O limite de cerca de seis mil pessoas nos 48 mil metros quadrados do recinto de oração do Santuário de Fátima, imposto devido à pandemia da Covid-19, marca as celebrações da Peregrinação Internacional Aniversária que esta tem início esta segunda-feira.

Para evitar um número elevado de pessoas, a Direção-Geral da Saúde e o Santuário de Fátima reforçaram o plano de contingência do recinto de oração, criando um conjunto de medidas adicionais para esta peregrinação, que será presidida pelo bispo de Setúbal e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, José Ornelas.

O controlo e monitorização dos acessos através de oito entradas, a delimitação dos espaços (com perímetros de segurança e marcações no solo), o reforço da sinalética e a limitação das deslocações dentro do recinto foram algumas das medidas adotadas.

No dia 13 de setembro, o acesso ao Santuário de Fátima foi bloqueado quando o local atingiu a lotação máxima permitida no contexto da pandemia da Covid-19.

A GNR anunciou que vai realizar uma operação policial em Fátima para garantir a segurança, controlo do tráfego rodoviário e cumprimento das normas sanitárias devido à Covid-19.

Segundo a GNR, ao abrigo das normas em vigor e para garantir um fluxo controlado de peregrinos, o acesso aos parques de estacionamento estará fortemente condicionado à lotação máxima no interior do recinto e estão proibidas as concentrações e aglomerações de pessoas no seu exterior.

“Não corram o risco de vir a Fátima [nestes dias], podendo não conseguir entrar no recinto do santuário. Pedimos que se associem a nós, que façam a peregrinação pelo coração, através dos meios virtuais, que o santuário disponibiliza diariamente”, apelou o reitor do Santuário de Fátima, Carlos Cabecinhas, na semana passada.

As peregrinações de maio e de outubro são as que costumam reunir maior número de peregrinos no santuário.

A Peregrinação Internacional Aniversária de outubro celebra a sexta aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos, na Cova da Iria, em 1917.

REGIÕES

PORTO: RUI MOREIRA ADMITE LIMITAÇÕES AO USO DO AUTOMÓVEL NA CIDADE

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, admitiu hoje restrições ao uso do automóvel na cidade, mas já fora do seu último mandato, em que decorrem as obras da Linha Rosa e arrancarão, esta semana, as do metrobus.

Online há

em

blank

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, admitiu hoje restrições ao uso do automóvel na cidade, mas já fora do seu último mandato, em que decorrem as obras da Linha Rosa e arrancarão, esta semana, as do metrobus.

Questionado sobre se as pessoas da zona ocidental da cidade (sobre a qual referiu, na cerimónia de apresentação do metrobus, que o uso do automóvel ronda os 80%) aderirão ao novo meio de transporte, Rui Moreira disse que “vão ter que aderir”.

“A partir do momento em que haja esta resposta, provavelmente já não serei eu, será quem me venha a suceder, já vai sentir-se legitimado para tomar medidas restritivas relativamente ao transporte individual”, afirmou hoje à margem da cerimónia de apresentação do Metrobus, que decorreu na Casa da Música.

Rui Moreira disse achar que a cidade precisa dessas medidas, face “ao aumento do número de automóveis na zona ocidental da cidade”.

“Isso é visível a nível, por exemplo, do estacionamento à superfície. Quando vemos o que está a suceder, julgo que vai ser inevitável”, acrescentou.

Apesar da sua posição, o autarca já tinha descartado “medidas draconianas” contra o automóvel, rejeitando tal posição para o Porto “sem antes ter uma solução” que é, “naturalmente, o transporte público”.

O autarca independente referiu-se ainda ao “grande crescimento habitacional na zona ocidental da cidade” e à projetada Via Nun’Álvares, algo que vem “aumentar, naturalmente, a pressão”.

“Se nós percebermos que ali temos agregados familiares que têm dois e três automóveis, e que esse número vai aumentar, essas pessoas vão ter que compreender que a cidade, pura e simplesmente, não tem capacidade viária para responder”, prosseguiu.

Rui Moreira diz que tal é um fenómeno que se observa “todas as manhãs”, e, vivendo no fundo da Avenida da Boavista e deslocando-se para a Câmara Municipal, o autarca constata que “ano a ano o número de automóveis vai aumentando”.

“Os automóveis não são mais pequenos, e o facto de o automóvel ser elétrico pode resolver o consumo, mas também não é acessível a todas as bolsas”, disse ainda.

O autarca considerou que o transporte público contribui para a “justiça social e para um equilíbrio maior entre aqueles que podem e os que não podem usar o transporte individual”

O autarca vincou ainda que o “domínio do transporte individual exerce uma enorme pressão e desafia os municípios a não conseguirem cumprir aquilo que são as metas anunciadas” em termos ambientais.

Rui Moreira marcou hoje presença na cerimónia de apresentação do Metrobus, serviço de autocarros a hidrogénio que ligará a Casa da Música à Praça do Império e a rotunda da Anémona (Praça Cidade do Salvador), em via dedicada na Avenida da Boavista e em convivência com o restante tráfego na Marechal Gomes da Costa.

A empreitada arranca esta semana tendo data prevista de conclusão junho de 2024.

Estão previstas as estações Casa da Música, Guerra Junqueiro, Bessa, Pinheiro Manso, Serralves, João de Barros e Império, no primeiro serviço do ‘metrobus’, e na secção até Matosinhos adicionam-se Antunes Guimarães, Garcia de Orta, Nevogilde, Castelo do Queijo e Anémona.

LER MAIS

REGIÕES

PORTO: EMPRESA MUNICIPAL ÁGUAS E ENERGIA ALVO DE ATAQUE INFORMÁTICO

A empresa municipal Águas e Energia do Porto foi alvo de um ataque informático, revelou hoje a Câmara Municipal, que acionou os protocolos de segurança e garante que os serviços essenciais de abastecimento estão assegurados.

Online há

em

blank

A empresa municipal Águas e Energia do Porto foi alvo de um ataque informático, revelou hoje a Câmara Municipal, que acionou os protocolos de segurança e garante que os serviços essenciais de abastecimento estão assegurados.

“Importa desde já salientar que todos os serviços essenciais de abastecimento público de água e saneamento estão perfeitamente assegurados”, lê-se no comunicado da Câmara Municipal do Porto.

Quanto ao ataque informático à Águas e Energia do Porto, a autarquia refere que foram “de imediato acionados os protocolos de segurança” e que a empresa “está a desenvolver todos os esforços para repor as condições normais de funcionamento o mais brevemente possível”.

A Águas e Energia do Porto está a trabalhar “em estreita colaboração” com o Centro Nacional de Cibersegurança e a Polícia Judiciária, acrescenta a autarquia.

No comunicado, a Câmara do Porto admite que, “devido ao incidente, alguns serviços ao cliente sofreram constrangimentos”, pelo que solicita aos clientes que nas últimas 72 horas submeteram pedidos de informação, pedidos de serviço, reclamações, entre outros, voltem a contactar a empresa.

“A Águas e Energia do Porto lamenta os transtornos causados e atualizará esta informação assim que possível”, termina a nota.

LER MAIS

REGIÕES

ALERTA AMARELO: O FRIO VAI CONTINUAR ATÉ QUINTA-FEIRA

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prolongou hoje até quinta-feira 2 de Fevereiro o aviso amarelo em oito distritos de Portugal continental devido à permanência do tempo frio.

Online há

em

blank

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prolongou hoje até quinta-feira 2 de Fevereiro o aviso amarelo em oito distritos de Portugal continental devido à permanência do tempo frio.

No domingo, o IPMA tinha colocado todos os distritos do continente em aviso amarelo por causa das temperaturas baixas, 10 dos quais até às 06:00 de terça-feira e os restantes oito até às 06:00 de quarta-feira.

Contudo, esta manhã, num comunicado, o IPMA indicou que prolongou o aviso amarelo até às 11:00 de quinta-feira nos distritos de Vila Real, Bragança, Guarda e Castelo Branco.

Nos distritos de Viseu, Portalegre, Évora e Beja, o aviso amarelo foi prolongado até às 06:00 de quinta-feira.

Em Leiria, aquele aviso vai permanecer até às 06:00 de quarta-feira.

O IPMA manteve o aviso amarelo nos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro e Coimbra até às 06:00 de terça-feira e nos de Lisboa, Santarém, Setúbal e Faro até às 06:00 de quarta-feira.

No comunicado, o instituto justifica esta decisão com a “persistência de valores baixos da temperatura mínima”.

O aviso amarelo, o menos grave, é emitido sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

LER MAIS

REGIÕES

PORTO: RUI MOREIRA QUER RETIRAR TOXICODEPENDENTES DOS EDIFÍCIOS MILITARES

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, pediu ao Ministério da Defesa que se adotem medidas para resolver o ‘grave problema de segurança’ do Quartel de Manutenção Militar e da Casa da Superintendência, espaços frequentados por toxicodependentes.

Online há

em

blank

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, pediu ao Ministério da Defesa que se adotem medidas para resolver o “grave problema de segurança” do Quartel de Manutenção Militar e da Casa da Superintendência, espaços frequentados por toxicodependentes.

Numa carta enviada a 26 de janeiro à ministra da Defesa, a que a Lusa teve esta segunda-feira acesso, o presidente da Câmara do Porto afirma que, apesar das “sucessivas intervenções por parte dos serviços municipais”, os obstáculos colocados para impedir o acesso aos edifícios “foram vandalizados” e os espaços “continuam a ser frequentados por toxicodependentes”.

“A verdade é que se tem vindo a agravar o clima de insegurança que se vive na zona”, afirma Rui Moreira, acrescentando que os edifícios, que estão devolutos, “têm vindo a ser ocupados por toxicodependentes” e, mais recentemente, “de forma premente, na sequência das recentes intervenções policiais de desmantelamento dos acampamentos de droga na zona da Pasteleira”.

“Trata-se de um foco de insalubridade, que ameaça a segurança de pessoas e bens, inclusivamente com risco de incêndio”, observa.

Destacando que o Quartel de Manutenção Militar e a Casa da Superintendência, situados na Rua do Ouro, estão sob a alçada da Direção-Geral dos Recursos da Defesa Nacional, Rui Moreira pede ao Ministério da Defesa que adote “medidas que permitam resolver este grave problema de segurança e saúde pública”.

Na missiva, Rui Moreira acrescenta ainda que a Câmara do Porto, através da Proteção Civil, tem vindo a realizar “diversas intervenções” nas instalações militares, como o encerramento dos vãos que permitiam o acesso aos edifícios, o reforço dos prumos de apoio do arame farpado do muro da frente da Rua da Cordoaria Velha, o reforço do portão do quartel e zonas limítrofes, a remoção do lixo e objetos e o corte da vegetação.

Já na via pública, os serviços da Proteção Civil vedaram o local através de “rede Bekaert” e reforçaram o gradeamento.

“Tanto os perigos como as ações realizadas pelo município para mitigação dos mesmos têm sido oportunamente comunicados à Direção-Geral dos Recursos da Defesa Nacional”, afirma o autarca independente, acrescentando que a Câmara do Porto tem recebido “inúmeras queixas dos moradores e relatos de ocorrências de assaltos”.

De acordo com Rui Moreira, a carta enviada à ministra da Defesa, Helena Carreiras, foi também dada a conhecer ao ministro da Administração Interna, José Luis Carneiro.

Na sexta-feira, o subcomissário do Comando Metropolitano da PSP do Porto Fernando Brito confirmou à Lusa que a PSP tem conhecimento da ocupação daqueles espaços por toxicodependentes, mas que não pode intervir sem ser a pedido do proprietário.

LER MAIS

JORNAL ONLINE

blank

DESPORTO DIRETO

MUSICBOX

EMISSÃO NACIONAL





EMISSÃO REGIONAL










WEBRÁDIOS TEMÁTICAS MUSICAIS










LINHA CANCRO

PAGAMENTO PONTUAL

KEYWORDS

MAIS LIDAS