RÁDIO REGIONAL | PORTUGAL
NACIONAL

FOOTBALL LEAKS: RUI PINTO COMEÇA HOJE A SER JULGADO

Rui Pinto, criador da plataforma eletrónica Football Leaks, através da qual divulgou milhares de documentos confidenciais do mundo do futebol e alegados esquemas de evasão fiscal cometidos em diversos países, começa hoje a ser julgado por 90 crimes.

O arguido, de 31 anos, está acusado de 68 crimes de acesso indevido, 14 de violação de correspondência, seis de acesso ilegítimo e ainda pelos crimes de sabotagem informática à SAD do Sporting e tentativa de extorsão ao fundo de investimento Doyen, pelos quais começa a responder no Tribunal Central Criminal de Lisboa.

Rui Pinto, que disse ser “fanático por futebol desde criança”, assumiu ser o criador do Football Leaks e, sob o pseudónimo ‘John’, ter divulgado informações que terá obtido de forma ilícita a partir de Budapeste, onde foi detido em 16 de janeiro de 2019.

Depois de ter estado prisão preventiva entre 22 de março de 2019 e 08 de abril deste ano, Rui Pinto foi colocado em prisão domiciliária, em habitações disponibilizadas pela Polícia Judiciária (PJ) e sem acesso à internet, depois de ter sido considerado que “apresentava disponibilidade para colaborar com a justiça”.

O arguido, que também é responsável pelo processo Luanda Leaks, está em liberdade desde 07 de agosto, por decisão da presidente do coletivo de juízes responsável pelo julgamento, Margarida Alves, encontrando-se inserido no programa de proteção de testemunhas, em local não revelado e sob proteção policial.

Rui Pinto arrolou 45 testemunhas, entre as quais o ex-presidente do Sporting Bruno de Carvalho, o treinador do Benfica, Jorge Jesus, a ex-eurodeputada Ana Gomes, o diretor nacional da Polícia Judiciária (PJ), Luís Neves, e Edward Snowden, que em 2013 denunciou informações confidenciais e programas ilegais de espionagem dos Estados Unidos.

O ‘caso Rui Pinto’ não tem paralelo na história recente da justiça portuguesa e provocou um debate internacional sobre o conceito de ‘whistleblower’ (denunciante) e o equilíbrio entre o direito à reserva de pessoas e empresas e o alegado interesse público das informações divulgadas na plataforma Football Leaks.

VEJA AINDA:

AVEIRO: UNIVERSIDADE COM 80 CASOS ATIVOS DE COVID-19

Lusa

AVEIRO: NOVE CONDENADOS POR TRÁFICO DE DROGA COM ‘RECURSO’ A CRIANÇAS

Lusa

GUIMARÃES: PJ DETÉM SUSPEITO DE MÚLTIPLOS CRIMES SEXUAIS CONTRA CRIANÇAS

Lusa

MILHARES PEÇAS DE VESTUÁRIO CONTRAFEITO APREENDIDAS NA REGIÃO NORTE

Lusa

VINHAIS: ACIDENTE EM CARRO DE BOMBEIROS CAUSA DOIS MORTOS E TRÊS FERIDOS

Lusa

‘OPERAÇÃO TRAPOS’ DETETA ESQUEMA DE FRAUDE DE 7,5 ME EM IRC, IVA E SUBSÍDIOS

Lusa