NACIONAL

FUNCIONÁRIOS PINGO-DOCE PROTESTAM

FUNCIONÁRIOS PINGO-DOCE PROTESTAM

Os trabalhadores da Jerónimo Martins (Pingo Doce) reivindicam melhores condições de trabalho e agendaram uma manifestação em frente à sede da empresa … mas a empresa nega que viole os direitos dos trabalhadores.

“O Pingo Doce refuta peremptoriamente as acusações de desrespeito pelos direitos dos trabalhadores”. A frase é de fonte oficial da cadeia de supermercados detida pela Jerónimo Martins em reacção à manifestação agendada para hoje pelos trabalhadores para reivindicar melhores condições como aumentos salariais.

Em declarações à edição do Económico, a mesma fonte do Pingo Doce sublinha que “os aumentos das tabelas salariais são discutidos no âmbito da negociação que está em curso do Contrato Colectivo de Trabalho aplicado ao sector da distribuição”. Por isso, “caberá à Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) pronunciar-se, se assim o entender”.

Sobre a ausência de resposta face ao Caderno Reivindicativo entretanto entregue pelos colaboradores, a fonte oficial refere que o mesmo “ocupa-se essencialmente de questões definidas ao abrigo do Contrato Colectivo de Trabalho”.

Sobre a concentração agendada para as 13h30 junto ao Campo Grande, a mesma fonte do Pingo Doce realça que “a manifestação é um direito que assiste a todos os trabalhadores”. No entanto, sublinha que “além das reuniões já agendadas no seio da APED, não estão previstas reuniões extraordinárias” com os trabalhadores.

Além do CESP – Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Escritórios e Serviços de Portugal estará presente na manifestação o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos.

VEJA AINDA:

ALCANENA: MOVIMENTO ‘CONVOCA’ MANIFESTAÇÃO CONTRA O ‘MAU CHEIRO’

Lusa

BRAGA: TRABALHADORES DO HOSPITAL EM GREVE PELO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

Lusa

CRISE: GOVERNO LANÇA APOIO DE 90 MILHÕES PARA CRIAÇÃO 1600 EMPREGOS EM 3 ANOS

Lusa

ACT FISCALIZA 2.100 EMPRESAS E ‘APANHA’ TRABALHADORES EM ‘LAY-OFF’ A TRABALHAR

Lusa

CRISE: ACT SUSPENDEU O DESPEDIMENTO ILEGAL DE 84 TRABALHADORES

Lusa

ACT ADMITE HAVER ‘FALSOS RECIBOS VERDES’ NA CASA DA MÚSICA

Lusa