GNR DETEVE SETE PESSOAS POR TRÁFICO DE DROGA EM CASTELO BRANCO E IDANHA-A-NOVA

Seis homens e uma mulher, com idades entre os 23 e os 70 anos, foram detidas nos concelhos de Castelo Branco e de Idanha-a-Nova por suspeita de tráfico de estupefacientes, anunciou hoje a GNR.

Seis homens e uma mulher, com idades entre os 23 e os 70 anos, foram detidas nos concelhos de Castelo Branco e de Idanha-a-Nova por suspeita de tráfico de estupefacientes, anunciou hoje a GNR.

Em comunicado, o Comando Territorial de Castelo Branco da GNR explica que a detenção das sete pessoas ocorreu na terça-feira, na sequência de uma operação de investigação criminal que permitiu desmantelar uma rede de tráfico de estupefacientes, que operava nos concelhos de Castelo Branco e de Idanha-a-Nova.

“As diligências de investigação decorriam há cerca de 20 meses e visavam um grupo de suspeitos, que atuavam de forma organizada e hierarquizada. A rede fazia do tráfico de haxixe, de heroína e de cocaína, o seu modo de vida”, lê-se na nota.

Adianta ainda que cada elemento do grupo tinha funções bem definidas, sendo que alguns procediam à aquisição de produto estupefaciente na zona Centro do país e em Espanha, e outros preparavam e acondicionavam as doses e posteriormente existiam elementos que procediam à venda e distribuição da droga aos consumidores nos dois concelhos.

“No decorrer da operação foi dado cumprimento a 10 mandados de busca, seis domiciliárias e quatro a veículos, culminando na detenção dos sete indivíduos e na apreensão de 190 doses de haxixe, diverso material de preparação, corte e acondicionamento de produto estupefaciente, um veículo ligeiro, 1.750 euros em dinheiro, um computador portátil, 19 telemóveis e três navalhas”, refere o comunicado.

Segundo a GNR, o grupo procedia ainda ao branqueamento dos lucros financeiros provenientes da atividade ilícita.

Os suspeitos, alguns com antecedentes criminais por tráfico de estupefacientes, estão detidos nas instalações da GNR e vão ser hoje presentes ao Tribunal Judicial de Idanha-a-Nova para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação.

A operação “Alpreade” envolveu 60 militares, dos Comandos Territoriais de Castelo Branco, Aveiro, Coimbra, Guarda e Santarém, de diferentes valências, nomeadamente Investigação Criminal, Intervenção, Cinotécnica e Territorial, bem como de elementos da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.