Connect with us

CIÊNCIA & TECNOLOGIA

GOOGLE DIZ QUE “A DEMOCRACIA PRECISA DE INFORMAÇÃO DE QUALIDADE”

A responsável de políticas públicas da Google Portugal, Helena Martins, defendeu hoje que a ‘democracia depende do acesso à informação de qualidade’ e que a tecnológica vai ter um ‘conjunto de iniciativas’ no âmbito das eleições na Europa.

Data:

em

A responsável de políticas públicas da Google Portugal, Helena Martins, defendeu hoje que a “democracia depende do acesso à informação de qualidade” e que a tecnológica vai ter um “conjunto de iniciativas” no âmbito das eleições na Europa.

Helena Martins falava à Lusa no dia em que foi assinado um acordo entre a Google e a Associação Portuguesa de Imprensa (API) para a promoção de literacia dos media em jovens e seniores, incluindo ferramentas para combater ‘fake news’ [desinformação ou notícias falseadas].

O apoio financeiro da Google a este projeto é de 250 mil euros.

Este protocolo, no âmbito do projeto Media Veritas, propõe-se disponibilizar “assinaturas de jornais a professores” para que os usem nas aulas, com os alunos, de acordo com a API, além de levar os jornais também aos clubes, centros de dia e outras instituições que reúnam os idosos.

De acordo com Helena Martins, este é apenas uma das iniciativas da Google, que através do fundo de inovação DNI tem apoiado os media na Europa, entre os quais os portugueses, que se candidatam ao programa.

“A desinformação é um desafio global”, pelo que “necessitamos da colaboração de todos”, acrescentou a responsável por políticas públicas da Google Portugal.

Para a Google, “a democracia saudável depende do acesso à informação de qualidade” e o combate às ‘fake news’ não tem “resposta única”.

Ou seja, “acreditamos em trabalho colaborativo”, quer seja com os media, com os governos, entre outras entidades, acrescentou.

Questionada sobre o facto de a Europa atravessar nos próximos dois anos — até 2020 — cerca de 50 atos eleitorais, Helena Martins disse que a Google está atenta a isso, estando previsto um “conjunto de iniciativas”.

“Em Portugal vamos promover ‘workshops’ para partidos políticos e candidatos”, onde a Google vai mostrar como é que os seus produtos funcionam e como é possível detetar ‘fake news’, explicou.

A desinformação está “super na ordem do dia” e para a Google é importante que os eleitores saibam como obter informação credível.

O projeto da API é financiado pelo Google.org, o braço filantrópico do Google, em colaboração com o ‘Google News Initiative’.

A Google lançou no ano passado este projeto para o combate às ‘fake news’, que inclui o desenvolvimento de ferramentas, parcerias com organizações da área da comunicação social e programas de apoio para ajudar à inovação no setor.

LUSA

AS MAIS LIDAS