REGIÕES

GUIMARÃES: 55 ALUNOS E 20 PROFESSORES EM QUARENTENA DEVIDO AO COVID-19

Os casos positivos foram identificados na sexta-feira, tendo no domingo as autoridades de saúde determinado que os cerca de 55 alunos das turmas e os professores fossem colocados em quarentena.

Dois alunos da EB 2,3 Egas Moniz, em Guimarães, distrito de Braga, acusaram positivo para a Covid-19, uma situação que colocou em quarentena duas turmas e cerca de 20 professores, disse esta segunda-feira à Lusa a diretora do agrupamento.

Segundo Rosalina Pereira, diretora do Agrupamento de Escolas Francisco de Holanda, a escola vai recorrer ao ensino à distância para assegurar a continuidade das atividades letivas.

Os casos positivos foram identificados na sexta-feira, tendo no domingo as autoridades de saúde determinado que os cerca de 55 alunos das turmas e os professores fossem colocados em quarentena. Esta segunda-feira, os alunos e os professores em questão já não foram à escola.

“As aulas vão, entretanto, funcionar no regime de ensino à distância, que já foi testado no último ano letivo”, referiu Rosalina Pereira.

Anteriormente, já tinha sido registado um caso positivo na Secundária Francisco de Holanda, o que obrigou a colocar em isolamento um professor e 28 alunos de uma turma. Neste caso, a quarentena termina na quarta-feira.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 33,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 1.957 pessoas dos 74.029 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

VEJA AINDA:

PORTO: ALUNOS DA UP COM TESTES COVID-19 GRATUITOS

Lusa

COIMBRA: NOVO SERVIÇO DE TROTINETES PARTILHADAS A PARTIR DE HOJE

Lusa

SANTARÉM: QUATRO DETIDOS EM OPERAÇÃO DE COMBATE AO TRÁFICO DE DROGA

Lusa

CHAVES: SEF DETETA RESULTADOS DE TESTES COVID-19 FALSIFICADOS

Lusa

ARCOS DE VALDEVEZ: RELÂMPAGO MATA 68 CABRAS (VIANA DO CASTELO)

Lusa

EM INÍCIO DE ABRIL O COVID-19 JÁ TINHA MATADO QUASE TRÊS MILHÕES DE PESSOAS

Lusa