REGIÕES

IGREJA RECUSA BAPTISMO

IGREJA RECUSA BAPTISMO

Um casal de Vila Marim não consegue baptizar a filha de quatro meses porque os padrinhos escolhidos não são casados pela Igreja.

Apesar de reconhecerem que são as regras da Igreja, Helena Alves, de 29 anos, e o marido, Hugo Teixeira, de 28, não aceitam a situação e decidiram escrever ao Papa Francisco a pedir ajuda para encontrar uma solução para baptizar a filha Iara.

“Já tínhamos decidido fazer o baptizado fora de Vila Marim para evitar problemas, mas os meus cunhados, que também vivem nesta paróquia, precisam de um papel assinado pelo padre a autorizar que sejam padrinhos. O pároco não o passou por não serem casados pela Igreja”, explicou a mãe da bebé.

Helena Alves enviou esta semana uma carta ao Papa. “É o meu último recurso. Posso não conseguir baptizar a minha filha, mas como cristã tenho uma palavra a dizer”, defendeu. O casal já recorreu a quatro sacerdotes de Vila Real e nenhum aceita realizar a cerimónia religiosa sem o documento assinado pelo padre da paróquia onde os padrinhos residem.

A madrinha, Patrícia Leite, 26 anos, é casada pelo civil, está grávida de sete meses e teme também não poder baptizar a sua bebé. “Ele propôs-nos que agendássemos uma data para o casamento, mas nós não queremos casar”, contou.

Patrícia acredita que se tivessem mentido sobre o laço que une o casal, a situação estaria resolvida. “Se tivéssemos dito que éramos só amigos, já tínhamos o papel na mão”, lamentou.

VEJA AINDA:

AMARES: MINISTÉRIO PÚBLICO ACUSA IPSS PELO CRIME DE CORRUPÇÃO

Lusa

MACEDO DE CAVALEIROS: 12 CASOS DE COVID-19 EM LAR DE IDOSOS

Lusa

GUARDA: ESCOLA ENCERRA DEVIDO À INFEÇÃO DE DUAS FUNCIONÁRIAS

Lusa

SÃO BRÁS DE ALPORTEL: SETE INFETADOS EM LAR DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA

Lusa

BRAGA: CASAL ‘INVENTA’ QUATRO FILHOS PARA RECEBER SUBSÍDIOS

Lusa

COIMBRA: UNIVERSIDADE LANÇA PROJETO DE TESTES RÁPIDOS PARA O COVID-19

Lusa