INDEPENDENTISTAS COM MAIORIA, E AGORA CATALUNHA?

Cidadãos vence eleições na Catalunha, mas independentistas mantêm maioria absoluta. Está instalada a confusão política na Catalunha.

Quando estão contabilizados todos os votos, o Cidadãos (direita liberal), liderado por Inés Arrimadas, obtém 36 lugares no parlamento catalão, enquanto o Junts per Catalunya elege 34 deputados.

A Esquerda Republicana Catalã, de Oriol Junqueras, anterior vice-presidente da Generalitat, tem 32 assentos, seguindo-se os socialistas catalães com 17 eleitos, o CatComú – Podemos com oito eleitos.

A Candidatura de Unidade Popular (CUP, extrema-esquerda) elege quatro, tantos como o Partido Popular Catalão.

No total, o bloco independentista obteve 70 dos 135 lugares do parlamento catalão:

Num discurso hoje feito a partir de Bruxelas, Carles Puigdemont assumiu a vitória do bloco independentista, apesar de o seu partido, o Junts per Catalunya, ter ficado em segundo lugar, atrás do Cidadãos, defensor da unidade de Espanha.

Nas eleições regionais convocadas por Madrid na sequência da aplicação do artigo 155 da Constituição, que permite a suspensão das autonomias regionais, os partidos independentistas obtiveram 70 dos 135 lugares do parlamento.

Por isso, Carles Puigdemont afirmou-se vencedor: “Que tomem nota, o Estado espanhol foi derrotado”. O chefe do governo espanhol Mariano “Rajoy e sua aliança perderam e receberam uma bofetada dos catalãos”.

Carles Puigdemont encontra-se em Bruxelas em fuga às autoridades judiciais espanholas que ordenaram a sua detenção, sob acusação de rebelião, sedição e peculato.

Apoiantes de Puigdemont dizem que “urnas decapitaram o PP”:

A formação política Junts per Catalunya sustentou hoje que o artigo 155 foi hoje “morto e enterrado” pelas eleições regionais catalãs de hoje e que “as urnas decapitaram o PP”. O governo de Madrid ativou o artigo 155 da constituição que permite ao poder central suspender a autonomia regional, depois de o governo catalão ter feito uma declaração unilateral de independência.

No Twitter, o antigo conselheiro da Generalitat, Jordi Turull, enviou uma mensagem à vice-presidente do governo de Madrid, Soraya Sáenz de Santamaría: “Olá Soraya, o governo de Puigdemont ganhou e as urnas decapitaram o Partido Popular”.

Após o resultado de hoje, em que o bloco independentista obteve uma maioria parlamentar apesar de o partido mais votado ser o Cidadãos (constitucionalista e direita liberal), vários dirigentes do Junts per Catalunya consideraram que é tempo que o governo espanhol dar de novo o poder regional a Carles Puigdemont, o seu líder.

Os candidatos da formação têm demonstrado a sua euforia entre abraços e gritos de “liberdade” e “presidente Puigdemont”, depois de terminar em segundo lugar com 34 deputados, abaixo do Cidadãos (37) e acima da Esquerda Republicana Catalã (32).

O diretor da campanha, Elsa Artadi, sublinhou que a “vitória da independência é a de todos” os partidos independentistas, estendendo os cumprimentos à ERC e à Candidatura de Unidade Popular (CUP, extrema-esquerda). Por seu turno, o porta-voz da candidatura, Eduard Pujol, sublinhou que “o 155 está morto e enterrado”.

O chefe do governo espanhol, Mariano “Rajoy, perdeu, é hora de eles tomar nota, é hora de retificação, reparação e restituição”, disse Pujol, salientando que “o Governo legítimo deve ser restaurado”.

Também o empresário e ativista independentista Josep Rull, que esteve detido pelas autoridades espanholas, disse que é “impossível aprisionar a vontade de um povo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.