REGIÕES

MATOSINHOS: AUTARQUIA INVESTE 150 MIL EUROS NAS MESAS DE VOTO – PRESIDENCIAIS

A Câmara de Matosinhos vai investir 150 mil euros na colocação de tendas no exterior dos locais de voto para as eleições presidenciais e ter um acréscimo de 100 mesas para uma votação “em segurança”, anunciou hoje.

Para evitar que as pessoas “fiquem em casa e não vão votar por medo de contágio por covid-19”, esta autarquia do distrito do Porto decidiu diminuir para 600 o número de eleitores por mesa de voto, número que a Comissão Nacional de Eleições (CNE) fixou em 1.000.

Em comunicado, a Câmara explicou que, por este motivo, o concelho contará com mais cerca de 100 mesas de voto – num total de 253 -, algo que representa “um desafio financeiro e logístico para a autarquia”, vincou.

A autarquia optou por baixar o número para 600 por mesa de voto para dar um “sinal de confiança e segurança” à população e, assim, diminuir a abstenção, sublinhou.

O aumento do número de mesas implicou o reforço dos recursos humanos, aos quais a câmara vai disponibilizar material de proteção individual, como máscaras, luvas, álcool gel e biombos.

Além disso, vai colocar tendas no exterior dos locais de voto onde se observem constrangimentos nos espaços onde as pessoas aguardarão pela sua vez de votar.

“Estamos a tomar todas as medidas para que os cidadãos de Matosinhos se sintam seguros ao exercer o seu direito de voto. Consideramos que o maior perigo é a democracia não funcionar e as pessoas ficarem em casa por medo”, disse a presidente da câmara, Luísa Salgueiro, citada na nota.

A autarquia organizou já uma bolsa de voluntários de funcionários municipais para integrar as equipas de recolha dos votos em mobilidade, destinada aos cidadãos que se encontram em confinamento ou isolamento devido à covid-19.

“Estamos a visitar, juntamente com a Unidade de Saúde Pública de Matosinhos, todos os locais de voto para nos assegurarmos que os planos de contingência são adaptados a cada caso”, sublinhou a socialista Luísa Salgueiro.

A autarca acrescentou que, a partir de hoje, começam a ser distribuídos em todas as caixas do correio folhetos com indicação do local de voto e medidas de segurança que cada um deve adotar na altura do voto.

As eleições presidenciais, que se realizam em plena epidemia de covid-19 em Portugal, estão marcadas para 24 de janeiro e esta é a 10.ª vez que os portugueses são chamados a escolher o Presidente da República em democracia, desde 1976.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.963.557 mortos resultantes de mais de 91,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 8.236 pessoas dos 507.108 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

VEJA AINDA:

MOITA FLORES ACUSADO DE CORRUPÇÃO E BRANQUEAMENTO POR OBRA QUANDO FOI AUTARCA EM SANTARÉM

Lusa

COVID-19: PARLAMENTO NA MADEIRA COM NOVAS MEDIDAS DE COMBATE À PANDEMIA

Lusa

MADEIRA: INÍCIA HOJE RECOLHER OBRIGATÓRIO DEVIDO À PANDEMIA DE COVID-19

Lusa

COVID-19: PORTUGAL COM 57 CONCELHOS EM RISCO EXTREMO, MAIS DO DOBRO DA ANÁLISE ANTERIOR

Lusa

LISBOA: CENTRO HOSPITALAR CENTRAL AVANÇA PARA O ÚLTIMO NÍVEL DE CONTINGÊNCIA

Lusa

DESCONTOS A PARTIR DE HOJE NAS EX-SCUT DO ALGARVE E INTERIOR DO PAÍS

Lusa