REGIÕES

MIRANDELA: SUSPEITO DE INCÊNDIO FICA COM A MEDIDA DE COAÇÃO MAIS LEVE

O homem de 51 anos suspeito de ter originado com trabalhos agrícolas o incêndio de quinta-feira, em Mirandela, fica sujeito à medida de coação mais leve enquanto aguarda pela decisão do processo judicial, informou hoje a PSP.

O homem foi detido pela PSP por aparentemente ter estado “envolvido na origem do incêndio quando executava trabalhos agrícolas num terreno e que rapidamente se alastrou, tomando grandes proporções.

Estes trabalhos agrícolas, o uso de maquinaria e permanência em espaços florestais estão proibidos por o país se encontrar em estado de alerta máximo devido às temperaturas elevadas e velocidade do vento, com risco elevado de incêndios.

O detido foi presente hoje ao Tribunal de Mirandela que lhe aplicou a mais leve das medidas de coação, o Termo de Identidade e Residência (TIR), enquanto decorrer o processo judicial a que a PSP juntou o material apreendido ao suspeito, nomeadamente um escarificador (equipamento atrelado ao trator para lavrar) e um extintor.

A informação é disponibilizada pelo Comando Distrital de Bragança da PSP, num comunicado em que lembra que o incêndio desta quinta-feira em Mirandela obrigou a “proceder à evacuação de pessoas de várias residências e efetuar cortes de trânsito” na autoestrada A4, e nas estradas nacionais 15 e 203.

O Comando Distrital da PSP de Bragança tinha indicado ainda hoje à Lusa que o detido estaria “a usar um trator com uma alfaia agrícola que no decurso dos trabalhos terá incendiado o restolho que existia na zona”.

O homem ainda terá tentado apagar o fogo com o extintor que trazia no trator, mas as chamas propagaram-se, mobilizando quase 80 operacionais desde o final da manhã de quinta-feira.

Durante a tarde, o fumo do incêndio obrigou ao corte da A4 e da Estrada Nacional 15 durante duas horas. As chamas foram dominadas ao final da tarde e o fogo entrou em fase de conclusão às 23:28, segundo a Proteção Civil.

Este incêndio de Mirandela é o terceiro deste verão no distrito de Bragança com a origem atribuída a negligência relacionada com trabalhos agrícolas ou outros, segundo as autoridades.

A 28 de julho, dois homens foram identificados como suspeitos de terem originado um incêndio florestal, no dia anterior, na zona de Vila Flor, quando estavam a trabalhar com uma máquina de corte de metal.

Uns dias antes, a 20 de julho, um homem de 64 anos foi detido no concelho de Vinhais, distrito de Bragança, por alegadamente ter provocado um incêndio, na zona de Rebordelo, durante a realização de trabalhos agrícolas.

VEJA AINDA:

AVEIRO: 13 ANOS DE PRISÃO PARA HOMEM QUE MATOU A MÃE

Lusa

AÇORES: SITUAÇÃO DE CALAMIDADE PROLONGADA ATÉ 23 DE OUTUBRO

Lusa

APLICAÇÃO STAYAWAY COVID ALVO DE PROVIDÊNCIA CAUTELAR

Lusa

MONTIJO: INCÊNDIO NUMA EMPRESA CAUSA DOIS FERIDOS

Lusa

ALVAIÁZERE: SETE UTENTES E DOIS FUNCIONÁRIOS DE LAR INFETADOS COM COVID-19

Vítor Fernandes

BRAGANÇA: PSD QUESTIONA AUSÊNCIA DE RASTREIO DO CANCRO DA MAMA

Lusa