RÁDIO REGIONAL
REGIÕES

OLHÃO: APREENDIDOS 700 QUILOS DE HAXIXE EM EMBARCAÇÃO, TRIPULANTES EM FUGA

nbsp| RÁDIO REGIONAL

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR apreendeu 700 quilos de haxixe, intercetados numa embarcação no porto de pesca da Fuseta, em Olhão, sem conseguir deter a tripulação, foi hoje divulgado.

Em comunicado, a GNR adianta que a tripulação se preparava para descarregar a droga para terra quando as autoridades chegaram ao local, o que fez com que os suspeitos fugissem a pé, não tendo sido possível identificá-los.

“Na sequência da ação policial foi possível intercetar a embarcação, que continha no seu interior aproximadamente 700 quilos de haxixe (20 fardos), impedindo-se assim o desembarque do produto estupefaciente e acautelando-se a prova”, lê-se na nota.

A embarcação foi detetada a navegar sem luzes junto à barra da Fuseta (distrito de Faro), através do Sistema Integrado de Vigilância, Comando e Controlo (SIVICC), o que constitui um “comportamento suspeito”, refere a GNR.

“Face às suspeitas levantadas, de imediato foram mobilizados meios da guarda para o local, com o intuito de se proceder à abordagem da embarcação suspeita, que, momentos depois, entrou no porto de pesca da Fuseta”, prossegue a nota.

Na sequência da ação, foi elaborado um auto de notícia e os factos foram remetidos ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Faro.

A Unidade de Controlo Costeiro é responsável por gerir o SIVICC, que visa garantir a deteção, a localização e a identificação de ameaças no mar territorial, na orla costeira e na fronteira externa marítima da União Europeia.

VEJA AINDA:

VISEU: JUDICIÁRIA DETEVE UM HOMEM SUSPEITO DE SEQUESTRAR UMA MULHER

Lusa

VALE DE CAMBRA: 40 ALDEIAS SEM MÉDICO DE FAMÍLIA HÁ UM MÊS

Lusa

GUARDA: AUTARQUIA ALERTA AGRICULTURES PARA ‘TEMPOS DIFÍCEIS’ DEVIDO À SECA

Lusa

PORTO: HOSPITAL DE SÃO JOÃO VACINA GRATUITAMENTE MULHERES COM RISCO DE CANCRO

Lusa

VIANA DO CASTELO: COMBOIO PASSA POR CIMA DE SEM-ABRIGO QUE ‘ESCAPA’ ILESA

Lusa

PORTO: JOVEM DE 18 ANOS ESFAQUEOU UM HOMEM POR CAUSA DO ‘BARULHO’

Lusa