Ligue-se a nós

REGIÕES

PETIÇÃO PÚBLICA ‘EXIGE’ REPOSIÇÃO DA LINHA DO DOURO

A Liga dos Amigos do Douro Património Mundial e a Fundação Museu do Douro anunciaram hoje que vão lançar uma petição pública em defesa da requalificação e reativação da Linha Ferroviária do Douro até Barca d’Alva.

Online há

em

A Liga dos Amigos do Douro Património Mundial e a Fundação Museu do Douro anunciaram hoje que vão lançar uma petição pública em defesa da requalificação e reativação da Linha Ferroviária do Douro até Barca d’Alva.

A apresentação pública do documento, que defende a “completa requalificação e reabertura da Linha do Douro”, será feita no dia 15 de junho, na cidade de Peso da Régua, no distrito de Vila Real.

Em comunicado, a Liga dos Amigos do Douro Património Mundial e a Fundação Museu do Douro explicam esta tomada de posição devido “à relevância da Linha do Douro no quadro dos atributos que levaram à classificação do Alto Douro Vinhateiro como Património Mundial pela UNESCO [Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura] e a importância que este projeto tem para o desenvolvimento endógeno do Alto Douro Vinhateiro”.

O objetivo é angariar o número suficiente de assinaturas para levar o abaixo-assinado à discussão na Assembleia da República.

A petição pública vai pedir aos deputados para “ponderarem e promoverem que seja devidamente contemplado na versão final do Programa Nacional de Investimentos 2030, ou em outro instrumento público adequado, o investimento na reabertura, requalificação e modernização de toda a Linha do Douro, até Barca d’Alva”.

“Que o seja com caráter de primeira prioridade e com proporcionada dotação financeira”, reivindicam os promotores da petição.

Pedem também que “o seja em articulação com o Governo de Espanha” e a Comunidade Autónoma de Castela e Leão, “de modo a que seja também assegurado o investimento na ligação entre Barca d’Alva e La Fuente de San Esteban, na província de Salamanca”.

A Linha do Douro está atualmente ativa entre o Porto e Pocinho, mas cada vez se ouvem mais vozes que defendem a reativação da ligação a Espanha.

O comunicado lembra os vários os estudos de revitalização desta linha que têm sido feitos nos últimos anos, assim como várias diretivas europeias que “apontam para as vantagens de um sistema ferroviário moderno”.

Num estudo divulgado em 2018 sobre as ligações ferroviárias transfronteiriças, a Comissão Europeia reconheceu que a Linha do Douro é de “grande potencial em termos turísticos e de coesão social”.

A Liga dos Amigos do Douro Património Mundial e a Fundação Museu do Douro consideram que “existem argumentos suficientes para que este assunto volte à discussão na Assembleia da República e para que a reabilitação e reabertura da Linha do Douro possa ser incluída nos objetivos estratégicos do Programa Nacional de Investimentos 2030”.

LUSA

REGIÕES

PORTO: OBRAS DO METRO CORTAM TRÂNSITO NA RUA DAS DEVESAS ATÉ 2027

A Rua Barão do Corvo, nas Devesas, em Gaia, estará cortada ao trânsito a partir de segunda-feira e até janeiro de 2027 devido às obras da Linha Rubi do Metro do Porto, informou o município.

Online há

em

A Rua Barão do Corvo, nas Devesas, em Gaia, estará cortada ao trânsito a partir de segunda-feira e até janeiro de 2027 devido às obras da Linha Rubi do Metro do Porto, informou o município.

Em causa está uma interrupção do trânsito automóvel na Rua Barão do Corvo, entre a Rua Visconde das Devesas e a Rua José Mariani (aproximadamente a 100 metros para nascente desse arruamento), bem como na Rua Felizardo Lima, junto à Rua Barão do Corvo.

Segundo informação disponível do ‘site’ da autarquia, a interrupção de trânsito deverá entrar em vigor na segunda-feira e durar até 16 de janeiro de 2027.

A Linha Rubi ligará Santo Ovídio à Casa da Música através de uma nova ponte sobre o Douro, e contará com uma estação nas Devesas, que fará ‘interface’ com o comboio e autocarros, tendo de estar pronta até final de 2026.

Já desde esta semana estão em vigor mudanças de sentido de trânsito nas ruas Mouzinho de Albuquerque, entre o cruzamento com a Rua Alexandre Braga e a Rua Visconde das Devesas, de sentido sul/norte para sentido norte/sul, e na Rua Heliodoro Salgado, entre a Rua Conselheiro Veloso da Cruz e a Rua Professor Manuel Pires Veloso, de sentido sul/norte para sentido norte/sul.

Também vários arruamentos de sentido único foram adaptadas a dois sentidos, casos das ruas José Mariani, entre o cruzamento da Rua Carlos Guedes de Amorim e a Rua Visconde das Devesas/Rua José Fontana, Rua Barão do Corvo, para nascente da Rua José Mariani, até à zona de obra, para acesso a habitações/lojas, e Rua Felizardo Lima, para norte no cruzamento com a Travessa Visconde das Devesas.

Já na Rua Professor Manuel Pires Veloso dá-se uma mudança de dois sentidos para um único (norte-sul).

Quanto a desvios pedonais, será sempre garantido acesso pedonal pela Rua Barão do Corvo, de acordo com a fase de execução dos trabalhos, de demolição e escavação da Estação das Devesas, bem como o atravessamento da Rua Felizardo Lima através de passadeira, encaminhando para a Travessa Visconde das Devesas.

Será ainda proibido o estacionamento na Rua Heliodoro Salgado.

O valor global de investimento da Linha Rubi (Casa da Música – Santo Ovídio, incluindo nova ponte sobre o rio Douro) é de 435 milhões, um investimento financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

A Linha Rubi, com 6,4 quilómetros e oito estações, inclui uma nova travessia sobre o Douro, a ponte D. Antónia Ferreira, a Ferreirinha, que será exclusivamente reservada ao metro e à circulação pedonal e de bicicletas.

Em Gaia, as estações previstas para a Linha Rubi são Santo Ovídio, Soares dos Reis, Devesas, Rotunda, Candal e Arrábida, e no Porto Campo Alegre e Casa da Música.

A empreitada tem de estar concluída até ao final de 2026.

LER MAIS

REGIÕES

CARRAZEDA DE ANSIÃES: HOMEM CONSTITUÍDO ARGUIDO POR PROVOCAR INCÊNDIO

A Guarda Nacional Republicana (GNR) constituiu arguido um homem de 41 anos em Marzagão, Carrazeda de Ansiães, por ter ateado um incêndio de forma negligente enquanto manuseava uma motorroçadora, informou hoje a autoridade.

Online há

em

A Guarda Nacional Republicana (GNR) constituiu arguido um homem de 41 anos em Marzagão, Carrazeda de Ansiães, por ter ateado um incêndio de forma negligente enquanto manuseava uma motorroçadora, informou hoje a autoridade.

O caso remonta a 16 deste mês, no distrito de Bragança. A investigação conduzida pela GNR permitiu perceber que a ignição aconteceu durante a realização de atividades agrícolas com uma motorroçadora, de forma negligente, num terreno junto a uma mancha florestal.

A GNR conseguiu identificar o responsável pelos trabalhos que estavam em curso, onde não foram mantidos os cuidados necessários de vigilância. Os factos foram remetidos para o tribunal de Vila Flor.

A Guarda relembrou que a Linha SOS Ambiente e Território – 808 200 520 – funciona em permanência, para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.

LER MAIS

MAIS LIDAS