Ligue-se a nós

DESTAQUE

PORTO: REQUALIFICAÇÃO DA PONTE D. LUÍS I APROXIMA-SE DO FINAL

Entre as memórias a preto e branco do final do século XIX e uma tarde soalheira de 2023, cerca de 140 anos contam a história da ponte Luiz I, cuja requalificação do tabuleiro inferior se aproxima do final.

Online há

em

Entre as memórias a preto e branco do final do século XIX e uma tarde soalheira de 2023, cerca de 140 anos contam a história da ponte Luiz I, cuja requalificação do tabuleiro inferior se aproxima do final.

Prevista para o fim do mês, a empreitada de requalificação iniciada em outubro de 2021 expôs a memória de três séculos distintos que atravessam o Porto e Gaia, em que o desgaste do tempo se fez sentir no aço de Théophile Seyrig, o colaborador de Gustave Eiffel que engenhou a travessia.

“Só após a decapagem da pintura aqui da ponte pudemos verificar que havia mais anomalias do que aquelas que estávamos a contar, e que estavam previstas no projeto. Tivemos que rever o projeto e colocar mais chapa, mais cantoneiras, e isso claro que atrasa a obra”, disse à Lusa Joana Moita, engenheira responsável pela fiscalização da empreitada a cargo da Infraestruturas de Portugal (IP).

Segundo a responsável da IP, só após descobrir estas dificuldades foi possível “verificar que os topos das vigas estavam em muito mau estado, assim como os aparelhos de apoio”, obrigando a que se os tivessem de “substituir na íntegra” e a esticar os prazos seis meses.

“Neste momento esses trabalhos já estão totalmente feitos, e agora estamos a correr para o final do mês, se tudo ajudar”, especialmente o São Pedro, que “não tem ajudado muito”, sobretudo no campo da pintura.

Atualmente, os trabalhos desenvolvem-se do lado de Gaia, já que “toda a parte da zona norte”, no Porto, já está pronta.

Debaixo da ponte, suportados apenas por andaimes, os 30 a 40 trabalhadores (chegaram a ser cerca de 70) agacham-se para trabalhar no que falta, enquanto corre o rio para o mar.

“Estamos a terminar lá os trabalhos de reforços, temos ainda a laje de transição executada, a instalação do oleodinâmico, e estamos a terminar com as pinturas”, explica Joana Moita.

De volta à superfície, em Gaia, o arco da ponte faz encolher os transeuntes, numa perspetiva que remete para as imagens filmadas por Manoel de Oliveira em 1931.

Já no Porto, a faina fluvial foi outra, com os miúdos da Ribeira a pedirem ajuda (uma escada ou uma pedra) aos responsáveis da obra para conseguirem alcançar uma bola de futebol perdida debaixo do passadiço de madeira que dá acesso aos restaurantes da zona.

Os miúdos atiram-se da ponte quando o calor a isso obriga, e foram uma constante durante a obra de requalificação daquele tabuleiro que conhecem como a sola dos seus pés.

“Foi muito complicado, porque tínhamos sempre receio, quer pela segurança deles quer pela segurança do pessoal. Não só atiravam-se da ponte, como vandalizaram algumas partes da obra”, admite Joana Moita à Lusa, reconhecendo que “isso é o normal” ali na zona, uma “tradição”.

As mãos dos jovens que impressionam turistas tocam também os rebites da ponte, os redondos fixadores mecânicos metálicos visíveis em toda a estrutura, que também foram substituídos.

“Colocámos cerca de 100 mil rebites, 16 mil para substituição, que já estavam normais, mas aos 100 mil chegámos com todas as peças novas que foram aqui colocadas”, disse a responsável da IP à Lusa.

As memórias de uma técnica de construção antiga obrigaram ao recurso a “mão-de-obra especializada” para a executar, numa empreitada que também será uma viagem rumo ao futuro, onde serão sentidas novas vibrações.

“Esta estrutura tem maior rigidez, ou seja, vai ser mais difícil sentirmos as vibrações da ponte”, explica a engenheira, revelando que serão instalados “painéis de informação a avisar a população sempre que a ponte é atravessada por uma multidão”.

Além dos painéis, a travessia também vai ficar equipada com um “aparelho oleodinâmico, para deslocações longitudinais, ou seja, [para] travagens bruscas dos veículos ou um sismo”.

“Esse aparelho trava essas deslocações e faz com que o tabuleiro se mantenha na formação original”, explica, estimando que a intervenção dure para que não seja precisa uma nova durante “pelo menos 30 anos ou mais”.

O custo da obra, inicialmente estimado em 3,3 milhões de euros, acabou por ficar nos 4,2 milhões, tanto devido à intervenção mais complexa do que o esperado, mas também devido à crise das matérias-primas, ligada à guerra na Ucrânia.

DESTAQUE

SPORTING PROCURA CONSOLIDAR LIDERANÇA NO JOGO EM ATRASO EM FAMALICÃO

O Sporting procura hoje consolidar a liderança da I Liga portuguesa de futebol, na visita ao terreno do Famalicão, em jogo em atraso da 20.ª jornada, inicialmente previsto para 03 de fevereiro.

Online há

em

O Sporting procura hoje consolidar a liderança da I Liga portuguesa de futebol, na visita ao terreno do Famalicão, em jogo em atraso da 20.ª jornada, inicialmente previsto para 03 de fevereiro.

Na data prevista, o encontro entre minhotos e ‘leões’ acabou por não se realizar, por falta de policiamento, devido ao protesto dos agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP), acabando por ser adiado para hoje, primeira data disponível no calendário do Sporting.

Neste momento, o Sporting lidera o campeonato, com 74 pontos, mais quatro do que o Benfica e 15 do que FC Porto e Sporting de Braga, com um triunfo em Vila Nova de Famalicão a garantir, pelo menos, aos ‘verde e brancos’ o segundo lugar e a presença na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões.

Depois de ter empatado no Estádio do Dragão, com o FC Porto (2-2) o Famalicão, num tranquilo oitavo lugar, com 35 pontos, pode, com um empate perante o líder do campeonato, garantir matematicamente a fuga definitiva aos lugares de despromoção direta.

O encontro entre Famalicão e Sporting está marcado para as 20:15, e terá arbitragem de Fábio Veríssimo, da associação de Leiria.


Acompanhe em direto aqui:

DIRETO: FC FAMALICÃO X SPORTING CP (20:15)

LER MAIS

DESTAQUE

TENISTA JOÃO SOUSA ANUNCIA FINAL DA CARREIRA NO ESTORIL OPEN

João Sousa vai terminar a carreira no Estoril Open, anunciou hoje o melhor tenista português de sempre no ranking mundial e único a conquistar títulos de singulares no circuito ATP.

Online há

em

João Sousa vai terminar a carreira no Estoril Open, anunciou hoje o melhor tenista português de sempre no ranking mundial e único a conquistar títulos de singulares no circuito ATP.

As mazelas físicas sofridas nos últimos anos, sobretudo a fissura no pé esquerdo que o obrigou a terminar precocemente a temporada de 2019 e mais recentemente o sistemático problema nas costas, precipitaram o final da carreira do vimaranense, aos 34 anos.

O melhor jogador português de todos os tempos tornou-se profissional em 2007 e, ao longo de 17 temporadas no circuito mundial de ténis, conquistou quatro títulos ATP (Kuala Lumpur em 2013, Valência em 2015, Estoril Open em 2018 e Pune em 2022) e alcançou o 28.º lugar no ranking ATP, em maio de 2016.

Único tenista nacional a conquistar o título de singulares do Estoril Open, Sousa escolheu o único torneio ATP português para se despedir do ténis mundial, revelou hoje em conferência de imprensa no Complexo de Ténis do Jamor.

LER MAIS
Subscrever Canal WhatsApp
RÁDIO ONLINE
ASSOCIAÇÃO SALVADOR, HÁ 20 ANOS A TIRAR SONHOS DO PAPEL

LINHA CANCRO
DESPORTO DIRETO
A RÁDIO QUE MARCA GOLOS
FAMALICÃO X SPORTING




A RÁDIO QUE MARCA GOLOS
PORTO X VIZELA




A RÁDIO QUE MARCA GOLOS
AROUCA X SPORTING




A RÁDIO QUE MARCA GOLOS
PORTO X BENFICA




RÁDIO REGIONAL NACIONAL: SD | HD



RÁDIO REGIONAL VILA REAL


RÁDIO REGIONAL CHAVES


RÁDIO REGIONAL BRAGANÇA


RÁDIO REGIONAL MIRANDELA


MUSICBOX

WEBRADIO 100% PORTUGAL


WEBRADIO 100% POPULAR


WEBRADIO 100% BRASIL


WEBRADIO 100% ROCK


WEBRADIO 100% OLDIES


WEBRADIO 100% LOVE SONGS


WEBRADIO 100% INSPIRATION


WEBRADIO 100% DANCE

KEYWORDS

FABIO NEURAL @ ENCODING


ASSOCIAÇÃO SALVADOR, HÁ 20 ANOS A TIRAR SONHOS DO PAPEL
NARCÓTICOS ANÓNIMOS
PAGAMENTO PONTUAL


MAIS LIDAS