TORRES VEDRAS: ÉPOCA BALNEAR REDUZIDA AOS MESES DE JULHO E AGOSTO

A época balnear vai ser reduzida em Torres Vedras, no distrito de Lisboa, devido à pandemia, decorrendo de 27 de junho a 30 de agosto, disse hoje à agência Lusa o presidente da câmara.

Carlos Bernardes afirmou à agência Lusa que este ano a época balnear decorre de 27 de junho a 30 de agosto, segundo o que ficou definido numa reunião entre o município e os concessionários.

Nos anos anteriores, a época balnear decorria de 14 de junho a 15 de setembro.

A viatura ‘Praia Segura’, de reforço da vigilância em todo o litoral, vai, contudo, estar operacional de 20 de junho a 20 de setembro, além de haver vigilância por parapente nas praias do concelho.

Nas praias Formosa, Guincho e Santa Helena, praias urbanas de Santa Cruz, com areais mais reduzidos, vai existir um “rececionista de praia, ou seja, uma pessoa que dá as boas vindas aos banhistas e controla a capacidade de carga em cada uma dessas praias”, adiantou o autarca.

Os utentes das praias devem assegurar um distanciamento físico de 1,5 metros entre diferentes grupos e afastamento de três metros entre chapéus de sol, toldos ou colmos, a partir de 06 de junho, determinou hoje o Governo.

De acordo com o plano de desconfinamento divulgado após a reunião de hoje do Conselho de Ministros, durante a época balnear, na utilização do areal das praias, estão “interditas atividades desportivas com duas ou mais pessoas, exceto atividades náuticas, aulas de surf e desportos similares”.

Nos toldos, colmos e barracas de praia, “em regra, cada pessoa ou grupo só pode alugar de manhã (até 13:30) ou tarde (a partir das 14:00)”, com o máximo de cinco utentes.

Na terça-feira, a Câmara Municipal de Torres Vedras decidiu isentar os estabelecimentos comerciais localizados das zonas balneares das taxas de ocupação do domínio hídrico.

A medida visa “auxiliar os proprietários de restaurantes, ‘snack-bares’ ou alojamentos turísticos a equilibrar a sua situação financeira”, por ter sido “dos setores mais afetados desde o início do combate à pandemia”, refere a proposta, a que a agência Lusa teve acesso.

A Câmara Municipal reconhece também que, “com as restrições que serão aplicadas pelo Governo, o trabalho destes operadores será fortemente afetado”.

A competência de gestão das praias passou este ano para a autarquia no âmbito da descentralização de competências do Estado para os municípios.

A câmara de Torres Vedras está também a equacionar autorizar os estabelecimentos comerciais a alargarem as áreas das esplanadas e a isentá-los do pagamento de taxas, disse o autarca.

Torres Vedras regista 43 casos de infeção confirmados, mas apenas um está ativo.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 302 mil mortos e infetou mais de 4,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.190 pessoas das 28.583 confirmadas como infetadas, e há 3.328 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.