Ligue-se a nós

REGIÕES

TRÁS-OS-MONTES: AUTARQUIAS GARANTEM QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO

Municípios e empresa intermunicipal dos distritos de Bragança e Vila Real, clientes do laboratório transmontano suspeito de fraude ouvidos hoje pela agência Lusa, garantiram a qualidade de água para consumo nos seus territórios.

Online há

em

Municípios e empresa intermunicipal dos distritos de Bragança e Vila Real, clientes do laboratório transmontano suspeito de fraude ouvidos hoje pela agência Lusa, garantiram a qualidade de água para consumo nos seus territórios.

Em novembro, o Laboratório Regional de Trás-os-Montes (LRTM), em Mirandela, suspendeu a atividade por tempo indeterminado, por ser suspeito na operação Gota d´Água da Polícia Judiciária (PJ) que está a investigar a falsificação de análises de água para consumo humano.

Na sua edição de hoje, o jornal Correio da Manhã conta que “a forma como o Laboratório de Trás-os-Montes ‘martelava’, na sua própria linguagem, o resultado das águas de consumo e residuais, pôs em risco, durante anos, a saúde pública, não apenas da região transmontana, mas de muitas outras zonas do país”.

Rui Vilarinho, representante dos municípios do distrito de Bragança, clientes do laboratório, e vice-presidente da câmara municipal de Macedo de Cavaleiros, adiantou que estas autarquias já contratualizaram outra entidade para fazer as análises exigidas, em alguns casos semanalmente.

“Porque há uma necessidade premente e uma exigência da Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR)”, declarou Rui Vilarinho, acrescentando que a maioria dos municípios optou por um laboratório de Chaves.

Publicidade

Quantos aos resultados mais recentes das análises, Rui Vilarinho disse que, de acordo do conhecimento que tem na região, “há situações pontuais que têm que ser corrigidas, como já acontecia no passado e no país inteiro”.

“Mas a água que é consumida em Macedo de Cavaleiros e, acredito, em todos os concelhos do distrito de Bragança, é de qualidade”, afirmou.

Também o autarca de Alfândega da Fé, Eduardo Tavares, quis deixar uma “garantia total de segurança e de tranquilidade junto da população”.

“Logo na semana a seguir [às buscas da PJ], e quando tivemos conhecimento de que a certificação ia cair, o município contratou com caráter urgente um laboratório para fazer as análises necessárias em seis aldeias, que eram as localidades abrangidas pelo Laboratório Regional de Trás-os-Montes”, contou.

O presidente esclareceu que “95% da água é fornecida pelo abastecimento em alta das Águas do Norte, que não estão neste processo”, e explicou que, no caso de Alfândega da Fé, o processo estará ligado às análises às águas residuais e não às de consumo humano.

Publicidade

A Câmara de Mirandela disse que também tem cumprido a realização regulamentada das análises à água e remeteu mais informações para um comunicado a emitir.

Ainda no distrito de Bragança, a Lusa tentou contactar o autarca de Vila Flor, mas sem sucesso.

Já no distrito de Vila Real , o presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar assinalou: “de imediato, pela insegurança da notícia, mandámos fazer a uma outra entidade análises a todos os sistemas e não tínhamos inconformidades que levassem a corte de fornecimento ou a uma questão relevante de saúde pública”.

Alberto Machado explicou que o município trabalhou com o laboratório visado na investigação num período de transição, entre agosto e novembro, e que foi, entretanto, adjudicada a uma outra empresa credenciada, após concurso público, a realização de todas as análises feitas à água naquele concelho.

Também Carlos Silva, da empresa Águas do Interior Norte (AdIN), disse que está a preparar o lançamento de um concurso público para adjudicar a uma só empresa a realização das análises, que eram realizadas por três empresas, uma delas o laboratório alvo de investigação.

Publicidade

Acrescentou que, após ser revelada a operação Gota d´Água, a AdIN procurou de imediato avaliar se as situações que estavam a ser reportadas pelo laboratório tinham veracidade.

“Verificámos que não tínhamos qualquer indício, qualquer situação que justificasse alguma suspeita acrescida”, apontou.

A AdIN gere os serviços de abastecimento de água e de drenagem de águas residuais dos municípios de Freixo de Espada à Cinta, Mesão Frio, Murça, Peso da Régua, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, Torre de Moncorvo e Vila Real, onde residem cerca de 100 mil habitantes.

No âmbito da operação Gota d’Água, a Polícia Judiciária deteve 20 pessoas – mas o processo ficou depois com 19 arguidos detidos – e realizou 60 buscas a entidades públicas e privadas.

No âmbito deste processo, que colocou em prisão domiciliária a diretora do laboratório em causa, a ERSAR suspendeu a entrega do “selo da qualidade exemplar de água para consumo humano” de 2023 a oito fornecedores, de acordo com o jornal Público.

Publicidade
Publicidade
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

REGIÕES

VILA REAL: IDOSA MORRE EM INCÊNDIO NUMA HABITAÇÃO EM VILARINHO

Uma idosa morreu hoje na sequência de um incêndio que deflagrou numa habitação em Vilarinho, no concelho de Vila Real, disse o comandante dos bombeiros da Cruz Branca.

Online há

em

Uma idosa morreu hoje na sequência de um incêndio que deflagrou numa habitação em Vilarinho, no concelho de Vila Real, disse o comandante dos bombeiros da Cruz Branca.

Orlando Matos afirmou à agência Lusa que a irmã da vítima ficou em estado de choque, foi considerada ferida ligeira e transportada para observação ao Hospital de Vila Real.

O comandante referiu que a vítima mortal tem uma idade compreendida entre os 70 e os 80 anos e que o óbito foi declarado no local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER), do INEM.

O alerta para o incêndio foi dado pela irmã da idosa pelas 01:30 e, segundo Orlando Matos, quando os meios chegaram ao local a habitação estava tomada pelas chamas.

O fogo, acrescentou, terá tido início no quarto da vítima, onde esta foi encontrada pelos bombeiros, e as causas que estiveram na sua origem vão ser investigadas pela Polícia Judiciária (PJ), que esteve no local durante a madrugada.

Publicidade

Para o combate ao incêndio foram mobilizados 16 bombeiros da Cruz Branca, com cinco viaturas, e ainda militares da GNR.

A aldeia de Vilarinho pertence à União de Freguesias de Pena, Quintã e Vila Cova, no concelho de Vila Real.

LER MAIS

REGIÕES

MIRANDELA: ACIDENTE DE TRABALHO MATA HOMEM “SOTERRADO” EM BETÃO

Um homem de 49 anos morreu soterrado esta tarde num acidente de trabalho numa empresa de pré-fabricados de betão, em Vila Nova das Patas, concelho de Mirandela, disse à Lusa fonte dos bombeiros locais.

Online há

em

Um homem de 49 anos morreu soterrado esta tarde num acidente de trabalho numa empresa de pré-fabricados de betão, em Vila Nova das Patas, concelho de Mirandela, disse à Lusa fonte dos bombeiros locais.

“Foi um acidente de trabalho às 15:12. Era um trabalhador da fábrica Pavimir. Supostamente terá caído numa máquina de receção de betão, tendo ficado submerso. Aliás, o alerta foi para um soterrado, o trabalhador ficou submerso com o betão”, indicou o comandante dos Bombeiros Voluntários de Mirandela, Luís Soares.

O comandante adiantou ainda que foram os colegas a encontrar o homem, que estranharam a ausência prolongada da vítima. À chegada do socorro, o trabalhador foi retirado da máquina pelos bombeiros, já em paragem cardiorrespiratória.

O óbito foi declarado ainda na empresa pela equipa médica do helicóptero do INEM de Macedo de Cavaleiros, chamada também para a ocorrência.

Luís Soares explicou ainda que se trata de uma estrutura recetora de betão, com alguma dimensão.

Publicidade

Foi ativado apoio psicológico para colegas e familiares.

A Guarda Nacional Republicana esteve local, tendo comunicado os factos ao tribunal e à Autoridade para as Condições de Trabalho.

LER MAIS

MAIS LIDAS