Ligue-se a nós

REGIÕES

VILA POUCA DE AGUIAR: SUSPENSÃO DAS OBRAS NA BARRAGEM FAZ 90 DESEMPREGADOS

A suspensão das obras na barragem do Alto Tâmega deixou no desemprego cerca de 90 pessoas da região, algumas das quais esperam regressar depois de retomados os trabalhos e de garantidas “todas as condições de segurança”.

Online há

em

A suspensão das obras na barragem do Alto Tâmega deixou no desemprego cerca de 90 pessoas da região, algumas das quais esperam regressar depois de retomados os trabalhos e de garantidas “todas as condições de segurança”.

A Iberdrola informou que “foram parcialmente suspensas” as obras do aproveitamento hidroelétrico de Alto Tâmega em março, após ter “identificado condições geológicas no local não previstas durante a fase de estudo”.

Em consequência, segundo números avançados pelo Sindicato da Construção de Portugal, esta suspensão afetou principalmente cerca de 90 trabalhadores deste território.

Eduardo Cunha, 64 anos e residente em Cerva, Ribeira de Pena, era pedreiro na barragem do Alto Tâmega, contratado pelo Agrupamento Complementar de Empresas (ACE), que junta a Mota-Engil, a Acciona e a Edivisa, responsável pela construção deste empreendimento.

Aos jornalistas contou que aproveitou a oportunidade de trabalho que surgiu neste território, onde as alternativas são “escassas” e que desempenhou funções de pedreiro durante 14 meses.

Eduardo Cunha disse que após o problema que foi detetado na obra, os trabalhadores foram mandados para casa a ganhar “75% do ordenado” e, depois, em agosto foi despedido.

“A única resposta que recebemos foi que o ACE já não ia fazer a obra e foi por isso que fomos despedidos”, acrescentou o também pedreiro Orlando Barroso, com 52 anos e natural de Carvalhelhos (Boticas).

A Iberdrola acabou por rescindir o contrato com o consórcio, em setembro, alegando “divergências relacionadas com incumprimentos e atrasos não relacionados com a suspensão de trabalhos”.

Os operários falavam à comunicação social numa conferência de imprensa promovida pelo Sindicato da Construção de Portugal, que se realizou nas proximidades do local onde está a ser construída a barragem, em Vila Pouca de Aguiar, distrito de Vila Real.

Os dois aproveitaram para recordar as condições de trabalho que vivenciaram na obra.

“A gente num trabalho destes nunca anda seguro porque, numa situação destas, com as inclinações grandes a gente seguro nunca anda”, contou Eduardo Cunha.

No local, ocorreu um movimento da encosta direita acima da futura central hidroelétrica, onde posteriormente se verificou uma derrocada.

Orlando Barroso reforçou a ideia do colega e afirmou que “não havia condições de segurança”.

“Para mim os maiores culpados são os geólogos, porque não estudaram bem os solos, que estavam podres, abriam brechas todos os dias, uma pessoa sentia-se insegura”, salientou.

Orlando Barroso e Eduardo Cunha revelaram ter a esperança de regressar ao trabalho no empreendimento, mas só se virem garantidas todas as condições de segurança no terreno.

A este propósito, o presidente do sindicato, Albano Ribeiro, defendeu que a obra só poderá ser retomada após ser criada uma “comissão composta pela Iberdrola, pelo sindicato, pela associação empresarial do setor, pela Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), mas com inspetores qualificados, e pelo Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG)”.

A Iberdrola disse hoje, em comunicado, que “atualmente estão a ser realizados trabalhos complementares que permitam cumprir com os prazos previstos na concessão, sempre com as máximas condições de segurança”.

“Desde o primeiro momento, a Iberdrola conta com o apoio de projetistas de reconhecido prestígio para o desenvolvimento das obras”, referiu ainda a energética espanhola.

O aproveitamento hidroelétrico de Alto Tâmega é um dos três que formam o Sistema Eletroprodutor do Tâmega (SET). Segundo a elétrica espanhola, as obras nas barragens de Daivões e Gouvães continuam a decorrer com normalidade

O SET é um dos maiores projetos hidroelétricos realizados na Europa nos últimos 25 anos, com 1.500 milhões de euros de investimento e a criação de 13.500 empregos diretos e indiretos.

Atualmente, segundo a Iberdrola, trabalham no SET cerca de 1.800 pessoas, das quais perto de 370 são dos municípios da região.

REGIÕES

POLÍCIA MARÍTIMA E ACT FISCALIZARAM BARCOS ENTRE MATOSINHOS E PÓVOA DE VARZIM

Treze embarcações de pesca costeira foram fiscalizadas hoje numa ação de fiscalização conjunta da Polícia Marítima e Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), entre a Póvoa de Varzim e Matosinhos, anunciou a Autoridade Marítima Nacional (AMN).

Online há

em

Treze embarcações de pesca costeira foram fiscalizadas hoje numa ação de fiscalização conjunta da Polícia Marítima e Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), entre a Póvoa de Varzim e Matosinhos, anunciou a Autoridade Marítima Nacional (AMN).

Na ação, que teve ainda a colaboração da Unidade de Controlo Costeiro e de Fronteiras (UCCF) da GNR, cujo objetivo principal era “fiscalizar as condições exigidas aos marítimos para o exercício da atividade a bordo das embarcações, (…) foram elaborados onze autos de notícia pela Polícia Marítima”, assinala o comunicado.

Segundo a AMN, os processos foram levantados “devido ao embarque de marítimos sem constar no rol de tripulação, assim como a infrações com a lotação mínima de segurança e falta de habilitação legal, especialmente por não marítimos, para o exercício da atividade da pesca”.

“Foi ainda relevante a verificação das condições de trabalho a bordo, tendo sido efetuadas inúmeras notificações por parte dos elementos da ACT, relacionadas com procedimentos documentais por regularizar. Foi também efetuada a verificação do cumprimento jurídico de entrada e permanência de estrangeiros no território nacional, por parte da UCCF, não tendo sido identificadas quaisquer irregularidades”, prossegue a nota de imprensa.

LER MAIS

REGIÕES

LOURES: AUTARQUIA QUER CONSTRUIR 152 CASAS A PREÇOS CONTROLADOS ATÉ 2026

A Câmara Municipal de Loures pretende construir 152 habitações a preços controlados até 2026 na freguesia de Camarate, num investimento de 22 milhões de euros, disse esta segunda-feira à agência Lusa a vice-presidente da autarquia.

Online há

em

A Câmara Municipal de Loures pretende construir 152 habitações a preços controlados até 2026 na freguesia de Camarate, num investimento de 22 milhões de euros, disse esta segunda-feira à agência Lusa a vice-presidente da autarquia.

É um dos conjuntos habitacionais que nós, neste momento, temos a candidatura submetida ao IHRU [Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana] e que aguardamos a sua aprovação”, explicou à agência Lusa a vice-presidente e também vereadora com o pelouro da Habitação na Câmara Municipal de Loures, Sónia Paixão (PS).

A autarca referiu que a construção deste conjunto habitacional, financiada ao abrigo do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), ficará situada na proximidade da via rodoviária Eixo Norte/Sul, sendo constituído por oito blocos, com quatro pisos, num total de 16 edifícios e 152 habitações.

Em termos de tipologias, o projeto prevê a construção de 56 T1, 45 T2, 48 T3 e quatro T4. Relativamente a prazos, Sónia Paixão estimou que o início das obras ainda ocorra durante este ano e a conclusão em 2026, num investimento previsto de 22 milhões de euros.

Nós, num conjunto global de candidaturas que apresentamos ao IHRU, apontamos para a construção de mais de 420 novos fogos, para além da reabilitação que anda na ordem dos 1.011 fogos. É o nosso objetivo na concretização da Estratégia Local de Habitação”, sublinhou.

Ainda em matéria de habitação, a autarca afirmou que o município de Loures “está a utilizar todas as ferramentas disponíveis para aumentar a oferta pública”, mas que também está comprometido em prevenir a construção de mais núcleos precários.

“Não podemos de maneira nenhuma compactuar com situações de ilegalidade. Nos núcleos em que sabemos que ainda existem núcleos de construção de grande fragilidade temos feito um acompanhamento e uma monitorização dos mesmos, para que não cresçam”, apontou.

LER MAIS
Subscrever Canal WhatsApp
RÁDIO ONLINE
ASSOCIAÇÃO SALVADOR, HÁ 20 ANOS A TIRAR SONHOS DO PAPEL

LINHA CANCRO
DESPORTO DIRETO
A RÁDIO QUE MARCA GOLOS
FAMALICÃO X SPORTING




A RÁDIO QUE MARCA GOLOS
PORTO X VIZELA




A RÁDIO QUE MARCA GOLOS
AROUCA X SPORTING




A RÁDIO QUE MARCA GOLOS
PORTO X BENFICA




RÁDIO REGIONAL NACIONAL: SD | HD



RÁDIO REGIONAL VILA REAL


RÁDIO REGIONAL CHAVES


RÁDIO REGIONAL BRAGANÇA


RÁDIO REGIONAL MIRANDELA


MUSICBOX

WEBRADIO 100% PORTUGAL


WEBRADIO 100% POPULAR


WEBRADIO 100% BRASIL


WEBRADIO 100% ROCK


WEBRADIO 100% OLDIES


WEBRADIO 100% LOVE SONGS


WEBRADIO 100% INSPIRATION


WEBRADIO 100% DANCE

KEYWORDS

FABIO NEURAL @ ENCODING


ASSOCIAÇÃO SALVADOR, HÁ 20 ANOS A TIRAR SONHOS DO PAPEL
NARCÓTICOS ANÓNIMOS
PAGAMENTO PONTUAL


MAIS LIDAS