VILA REAL: VOLUNTÁRIOS FABRICAM E DISTRIBUEM MÁSCARAS

Voluntários, câmaras e juntas estão a fazer e distribuir máscaras sociais e cirúrgicas pela população, em várias iniciativas que atravessam o distrito de Vila Real e que visam prevenir e travar a covid-19.

No concelho duriense de Mesão Frio, Rosa Marques, 54 anos, está a costurar máscaras sociais em sua casa.

É colaboradora do Centro Escolar de Mesão Frio, mas, devido à pandemia e ao encerramento da escola, está em regime de trabalho domiciliário e, desde há uma semana, que está a fazer máscaras sociais para a câmara.

Foi modista antes de ir trabalhar para o centro escolar e aceitou, agora, o novo desafio que lhe foi lançado. À agência Lusa afirmou hoje que está a desempenhar uma tarefa que adora e que é, também, um contributo na luta contra a covid-19.

Já fez 70 máscaras, em vários padrões, em tecido 100% algodão e duplo e com uma abertura para a colocação de um filtro.

“Adoro mexer com tecidos, fazer trabalhos com tecidos. Faço aos sábados e domingos, não está a custar nada”, salientou.

Segundo a Câmara de Mesão Frio, as primeiras máscaras destinam-se para a proteção individual de todos os seus colaboradores.

Numa segunda fase de produção, o objetivo é oferecê-las à população do concelho, com prioridade para os grupos de risco, particularmente pessoas com mais de 65 anos, com doenças crónicas e em estados de imunossupressão.

Esta medida surge no âmbito das recomendações emanadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), relativamente ao uso generalizado de máscaras em espaços coletivos fechados, sendo uma medida complementar ao distanciamento social, higienização das mãos e etiqueta respiratória.

Nove costureiras voluntárias da Cruz Vermelha Portuguesa estão também a fazer máscaras sociais para distribuir pelos idosos e mais vulneráveis do concelho de Santa Marta de Penaguião.

O objetivo é que este equipamento de proteção chegue a quem mais precise de se proteger da covid-19, por ser idoso ou doente, ou quem mais necessite de sair de casa.

A Cruz Vermelha já entregou as primeiras cerca de 550 máscaras às juntas de freguesias e o objetivo é chegar, para já, às 1.500. O trabalho irá sendo feito de acordo com as necessidades e o evoluir da pandemia.

Em Boticas, o movimento “Apoiar Boticas” mobilizou-se para fazer máscaras sociais, em tecido e de caráter reutilizável, distribuindo-as gratuitamente à população.

Este grupo foi criado através da rede social Facebook, contou com a cedência de materiais de forma gratuita e o trabalho voluntário de costureiras, e já produziu e distribuiu 250 máscaras sociais.

Por sua vez, a Junta de Freguesia de Dornelas, também no concelho de Boticas, distribuiu pela sua população perto de 300 máscaras sociais reutilizáveis, que integraram um “kit” composto ainda por filtros de substituição e máscaras cirúrgicas.

Este ‘kit” estava acompanhado de uma explicação do método de lavagem e desinfeção das máscaras.

A Câmara de Sabrosa está a distribuir três mil ‘kits” de proteção individual à população, que contêm máscara cirúrgica e álcool gel desinfetante.

O objetivo, de acordo com a autarquia, é levar este equipamento a todas as famílias do concelho para prevenir o aumento de casos de Covid-19.

A distribuição começou pelas freguesias mais distantes da sede de concelho e está a ser feita com o apoio de todas as juntas de freguesia.

De acordo com o boletim da DGS sobre a pandemia, o distrito de Vila Real regista hoje 265 casos positivos de covid-19. O concelho com o maior número de infetados é Vila Real com 151, seguido do Peso da Régua com 52 doentes e Chaves com 25.

Segundo a DGS, Portugal contabiliza 948 mortos associados à covid-19 em 24.322 casos confirmados de infeção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.