Connect with us

MAGAZINE

DEIXAR DE FUMAR ? EIS AS DICAS

Farto de tentar tudo para vencer o tabaco? Leia este artigo, juntámos uma série de dicas, métodos e tratamentos que o podem ajudar a deixar de fumar. Vê mais aqui. Partilha com os teus amigos !

Notícia publicada há

em

deixar-fumar-eis-as-dicas

Farto de tentar tudo para vencer o tabaco? Leia este artigo, juntámos uma série de dicas, métodos e tratamentos que o podem ajudar a deixar de fumar. A luta contra o tabaco é uma luta lenta, difícil e que exige muita persistência e força de vontade. Sem estes ingredientes, muito dificilmente conseguirá deixar de fumar. Após mentalizar-se de que é mesmo isso que quer, existem algumas soluções – naturais ou com base em medicação – que podem dar uma ajudinha.

MÉTODOS MAIS EFICAZES PARA DEIXAR DE FUMAR

CIGARRO ELETRÓNICO

O cigarro eletrónico é um aparelho eletrónico desenvolvido com o objetivo de simular um cigarro e o ato de fumar. É um dispositivo que produz vapor inalável com ou sem nicotina, apresentando diversos sabores (ex: tabaco, café, frutas, etc.) e pode servir como uma alternativa ao fumador, pois, além de emitir nicotina, também proporciona sabor e sensação física semelhante à da inalação do tabaco, embora não exista tabaco, combustão e fumo.

Além disso, o cigarro eletrónico imita o hábito de fumar, o que para muitos fumadores é um dos obstáculos para o sucesso em parar de fumar. O modelo clássico do cigarro eletrónico é visualmente muito parecido com o produto verdadeiro, ou seja, possui a mesma cor branca e amarela, o mesmo formato e até a ponta simula estar acesa quando se fuma.

Existem também diversos modelos disponíveis no mercado, em forma de charutos, cigarrilhas, cachimbo, entre outros. Atualmente, a maioria dos cigarros eletrónicos disponíveis para venda são reutilizáveis e contêm peças de reposição e/ou recarregáveis.

Com esta tecnologia pode poupar até 60% do que gastaria com tabaco normal.

PASTILHAS E OUTROS SUBSTITUTOS DE NICOTINA

Estes fármacos libertam nicotina através da pele ou das mucosas bucais. Existem em forma de adesivos transdérmicos, pastilhas elásticas ou rebuçados e o tratamento dura cerca de três meses.

Estes substitutos de nicotina fornecem ao organismo a dose de nicotina suficiente para o acalmar, mas sem criar dependência. No entando, deve deixar de fumar desde o primeiro dia de tratamento, pois caso contrário está a aumentar o consumo diário de nicotina.

Os mais ansiosos devem escolher as pastilhas. Estes substitutos estão à venda nas farmácias (não é necessária prescrição médica) e custam um valor aproximado ao que o fumador gasta em média no tabaco.

ACUPUNTURA

Este método milenar da medicina tradicional chinesa consiste em inserir na pele agulhas de aço cirúrgico muito finas com o objetivo de reequilibrar o sistema energético. Uma vez recuperado o equilíbrio, a irritabilidade desaparece e a pessoa sente-se melhor, mais relaxada e com menos vontade de fumar.

O tratamento inclui uma sessão semanal durante um mês e é acompanhado de outras técnicas como a fitoterapia (terapia à base de plantas) e a auriculoterapia (estimulação de pontos específicos na orelha que induzem a produção de endorfinas, as hormonas do bem-estar).

A sua taxa de êxito pode chegar aos 80%. Esta solução requer, no entanto, a colaboração e a confiança total do paciente na terapia. As consultas de acupuntura, dependendo do local escolhido, podem ir desde 30€ a 90€, aproximadamente.

HIPNOSE

O cigarro causa não só dependência física como psíquica, daí que a hipnoterapia possa ter resultados bastante eficazes. A hipnose é um estado de consciência alterada, semelhante ao “transe”, durante o qual o indivíduo sente um profundo relaxamento físico e emocional.

Este estado de transe hipnótico é um estado de concentração profunda e absoluta, durante o qual o paciente foca toda a sua atenção no que lhe é dito, mantendo-se sempre consciente, nunca perdendo a sua compostura nem fazendo nada contra a sua vontade. Nestas consultas, é dada a “ordem” para que o paciente deixe de ter prazer a fumar e para que deixe de ter vontade de o fazer.

As consultas podem variar os seus preços, começando nos cerca de 40 euros por sessão.

VARENICLINA

Em forma de comprimido, este fármaco atua ao nível do sistema nervoso central, reduzindo a vontade de fumar. Começou a ser comercializado em Portugal em março de 2007 e o fumador deverá inciar o tratamento uma a duas semanas antes de deixar de fumar. Dores de cabeça, náuseas e outros problemas de ordem gastrointestinal são alguns dos possíveis efeitos secundários.

Para quem escolher esta nova forma de tratamento, a Pfizer (laboratório responsável pelo medicamento) oferece um plano de ajuda que contém apoio comportamental e programas interactivos online, completamente gratuitos.

Este medicamento está sujeito a receita médica e encontra-se à venda nas farmácias. Uma caixa de 25 unidade custa cerca de 42€.

OUTRAS AJUDAS PARA DEIXAR DE FUMAR

Consultas de Cessação Tabágica promovidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), que deverão estar disponíveis em todos os centros de saúde, bem como alguns serviços hospitalares públicos e centros de atendimento a alcoólicos e toxicodependentes.

Outros profissionais de saúde: procure o seu médico de família, pneumlogista ou psicólogo, eles poderão atendê-lo e prescrever um tratamento caso seja necessário.

Linha telefónica SOS-Deixar de fumar, do Instituto Nacional de Cardiologia Preventiva: o telefone 808 208 888 funciona todos os dias úteis, das 13h00 às 21h00, e tem o custo de uma chamada local.

Escola Superior de Saúde Pública: com um acompanhamento personalizado, através da internet, esta escola ajuda-o na luta contra o tabaco. Saiba mais em www.parar.net.

Qualquer destes métodos e técnicas vão acabar por ser infrutíferos se não tiver realmente vontade de deixar de fumar. Por isso, já sabe: mentalize-se e dê o primeiro passo, a sua saúde agradece!

COMENTÁRIOS AQUI

DEIXAR O MEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado.

MAGAZINE

DESINTERESSE NO SEXO ? IMPORTANTE SABER

As mulheres têm mais que o dobro de probabilidade que os homens de perder o interesse em sexo no casamento, sugere um estudo sobre a sexualidade.

Notícia publicada há

em

Por:

As mulheres têm mais que o dobro de probabilidade que os homens de perder o interesse em sexo no casamento, sugere um estudo sobre a sexualidade dos britânicos.

A pesquisa indica que, apesar de tanto homens quanto mulheres perderem o desejo sexual com a idade, as mulheres são mais afectadas por relacionamentos mais longos.

No total, 15% dos homens e 34% das mulheres entrevistados disseram ter perdido o interesse no sexo por três meses ou mais no ano anterior. Para os homens, a falta de interesse era maior entre as idades de 35 a 44 anos, enquanto para as mulheres o ápice era entre os 55 e os 64 anos.

De maneira geral, problemas de saúde e a falta de uma proximidade emocional afectam o desejo sexual de homens e mulheres.

As conclusões foram baseadas na experiência de quase 5 mil homens e 6,7 mil mulheres segundo uma pesquisa publicada no jornal científico BMJ Open.

Os pesquisadores britânicos envolvidos na pesquisa afirmaram que a falta de desejo sexual deveria ser tratada levando em consideração a pessoa como um todo em vez de simplesmente usar medicamentos.

De acordo com a terapeuta sexual Ammanda Major, perder o interesse no sexo não é necessariamente anormal e há vários motivos diferentes para as mudanças nas necessidades de homens e mulheres.

“Para alguns, é uma situação natural e normal, mas, para outros, pode ser causa de dor e sofrimento”, disse.

Segundo os pesquisadores envolvidos na pesquisa, da Universidade de Southampton e University College London, não há evidências de que a menopausa seja um fator para as mulheres.

No entanto, eles descobriram que ter filhos pequenos em casa era especialmente desestimulante para as mulheres.
Problemas de saúde física e mental, falhas de comunicação e uma falta de conexão emocional durante o sexo eram as principais razões para homens e mulheres perderem o interesse.


Cinco dicas para reacender o interesse no sexo:

Comece a falar sobre o assunto com o parceiro ou parceira em vez de fingir que ele não existe, ignorá-lo pode provocar outros problemas e criar ressentimentos. Se isso não funcionar, encare a razão por que você não quer falar sobre isso;

Explore outras formas de intimidade, como dar as mãos, falar com doçura um com o outro, trocar carícias e fazer cafuné em vez de buscar o ato sexual;

Sentir que você não é ouvido é uma barreira para o sexo – então faça seu parceiro se sentir respeitado e importante;
Procure um apoio extra como um terapeuta sexual, uma terapia de casal ou o seu médico;

Relaxe – muitos relacionamentos funcionam muito bem mesmo sem sexo, se é um ponto alcançado por ambos ao mesmo tempo.


Na Pesquisa Nacional de Atitudes e Estilos de Vida Sexuais na Grã-Bretanha, aqueles que achavam “sempre fácil falar sobre sexo” com seu parceiro tinham menos probabilidade de dizer que perderam o interesse. Já aqueles cujo parceiro tinha dificuldades sexuais ou os que estavam menos felizes em suas relações tinham maior probabilidade de dizer que haviam perdido o interesse no sexo em algum ponto da relação, afirmaram os pesquisadores.

Entre as mulheres, o estudo descobriu que “não compartilhar o mesmo nível de interesse sexual que o parceiro e não ter as mesmas preferências sexuais” também era um factor para a perda de interesse no sexo.

Cynthia Graham, professora de saúde sexual e reprodutiva da Universidade de Southampton, disse que as descobertas aumentaram o entendimento do que está por trás da falta de interesse no sexo e como tratá-la.

“Isso realça a necessidade de lidar e – se necessário – tratar problemas de desejo sexual de uma maneira holística e específica em termos de relacionamento e género”.

Graham acrescentou que esse não é um problema que pode ser resolvido apenas com uma pílula.

“É importante olhar além dos antidepressivos”, disse Graham.

A agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) recentemente aprovou a primeira droga voltada para aumentar a libido feminina, a flibanserin, apelidada de “viagra feminino”.
“Sexo é algo muito importante e falar sobre isso pode ser constrangedor. Mas conversar muitas vezes é a melhor coisa que você pode fazer para melhorar a sua vida sexual.”

LER NOTÍCIA COMPLETA

MAIS LIDOS