Ligue-se a nós

MAGAZINE

MULHER DETIDA DANÇA NUA PARA POLÍCIAS (VÍDEO)

Na Colômbia uma mulher detida por se envolver numa luta com outra mulher. Katherine Martinez de 37 anos foi algemada a uma janela e “alegadamente” terá-lhe sido dito que só lhe dariam uma cadeira se se despisse. Momento foi filmado.

Online há

em

Esta é mais uma polémica das redes sociais. Na Colômbia uma mulher detida por se envolver numa luta com outra mulher. Katherine Martinez de 37 anos foi algemada a uma janela e “alegadamente” terá-lhe sido dito que só lhe dariam uma cadeira se se despisse. O momento em que uma mulher, detida numa esquadra em Cali, na Colômbia, alegadamente terá sido obrigada pelos polícias a dançar nua para estes e para os outros homens que estavam detidos foi filmado e divulgado nas redes sociais.

A mulher, Katherine Martinez, fez queixa e agora os envolvidos enfrentam processos disciplinares e judiciais. A jovem, de 27 anos, que trabalhou como fisioterapeuta, tinha saído com amigas e bebeu demais. Segundo conta, caiu durante uma luta com outra mulher.

A polícia deteve-a e levou-a para a esquadra. Katherine conta que foi algemada a uma janela e que, quando pediu uma cadeira, porque tinha dores nos pés, os agentes da polícia lhe disseram que, para a libertarem, esta tinha de se “despir e fazer uma dança sensual para todos”. No local estavam vários homens presos que começaram a gritar “Sim, sim é mesmo isso”. ” Os polícias disseram para eu levantar o vestido e que iam filmar tudo, lembro-me disso”, defende a jovem, que agora trabalha como modelo.

Já o comandante da Polícia de Cali, Hugo Casas, garante que a mulher despiu-se por iniciativa própria, mas lamenta que os agentes tenham filmado o momento e divulgado o vídeo nas redes sociais. “Ela decidiu despir-se e levar a cabo atos obsceno. O que nós, enquanto instituição, lamentamos, é que alguns agentes da nossa polícia tenham filmado com o telemóvel em vez de a pararem e protegerem a sua integridade”, afirma Casas, garantindo que “já estão a decorrer investigações internas, assim como processos disciplinares”.

Katherine recorreu à ajuda de um advogado para limpar o seu nome. “è nojento e vergonhoso o que obrigaram a fazer para poder ter uma cadeira. Eu tinha o pé muito magoado. Ainda não consigo andar bem, mas o que me custa mais é que fiquei emocionalmente destroçada.”, finaliza.

Pode ver o vídeo aqui, tire as suas conclusões:

[KGVID height=”360″]https://radioregional.pt/wp-content/uploads/2017/07/katherine-martinez-video.mp4[/KGVID]

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

MAGAZINE

5 PEQUENOS GESTOS PARA TORNAR A SUA EMPRESA MAIS SUSTENTÁVEL

Apesar de ser um chavão dizer-se que não há planeta B, a verdade é que, face às alterações climáticas e à gritante perda de biodiversidade a que todos temos assistido, é urgente trabalharmos para que o planeta A, afinal de contas o único que temos, tenha futuro.

Online há

em

Apesar de ser um chavão dizer-se que não há planeta B, a verdade é que, face às alterações climáticas e à gritante perda de biodiversidade a que todos temos assistido, é urgente trabalharmos para que o planeta A, afinal de contas o único que temos, tenha futuro.

Todos somos chamados a contribuir dentro das nossas possibilidades e as empresas não são exceção, até porque, além de ajudar o ambiente, podem poupar recursos e ter um maior impacto numa sociedade de consumo que dá cada vez mais valor a práticas sustentáveis.

Se tem uma empresa e não sabe por onde começar a torná-la mais sustentável, tome nota destas cinco dicas que temos para si.

5 formas de tornar a sua empresa mais sustentável

1 – Opte por comprar a fornecedores locais/regionais

O transporte de materiais e matérias-primas por terra, ar ou mar é uma das atividades mais poluentes à face da Terra, por isso, para começar a tornar a sua empresa mais sustentável procure comprar localmente.
Deste modo, não só contribui para a diminuição da sua pegada de carbono, como também para o fortalecimento da economia local.

Além disso, procure comprar materiais de elevada durabilidade, reciclados ou reutilizáveis, e que possam ser vendidos em grandes quantidades.

2 – Reduza o consumo de água

Se pensarmos que a percentagem de água doce no mundo ronda os 2% do total global, é fácil percebermos que uma estratégia mais urgente a adotar para tornar a sua empresa mais sustentável é a, sem dúvida alguma, a redução do consumo de água.

Neste sentido, pode começar por instalar redutores de caudal em todas as torneiras e autoclismos da empresa, instalar temporizadores nos lavatórios e chuveiros e, se possível, instalar sistemas de reutilização de águas pluviais.

Deve-se acompanhar todas estas medidas por revisões periódicas, algo essencial para afastar a possibilidade da existência de fugas que podem resultar num enorme desperdício de água.

3 – Faça uma melhor gestão dos resíduos produzidos

Para gerir e reduzir os resíduos produzidos pela sua empresa, comece, por exemplo, por instaurar uma política de separação do lixo produzido através da colocação de recipientes próprios em locais estratégicos, como, por exemplo, instalar um contentor azul junto dos escritórios, lugar onde o gasto de papel e derivados é mais acentuado.

A isto, procure, igualmente:

  • Incentivar a utilização de ferramentas digitais em detrimento do papel;
  • Reutilizar o papel antes o deitar fora;
  • Reciclar os tinteiros vazios;
  • Favorecer a compostagem dos restos do lanche e almoço dos seus trabalhadores através da colocação de um contentor específico para esse efeito;
  • Não utilizar material descartável;
  • Promover a utilização de garrafas reutilizáveis.

4 – Promova medidas de melhoria da qualidade do ar

No caso de escritórios ou de armazéns, é importantíssimo zelar para que a qualidade do ar seja a melhor possível para todos, já que, assim, não só os seus trabalhadores podem sentir-se mais confortáveis no desempenho das suas funções, como a sua empresa pode, com as medidas certas, poupar no gasto de eletricidade.
Entre outras coisas, pode:

  • Colocar plantas no escritório e armazém que, na prática, vão ajudar a purificar o ar e tornar o espaço mais acolhedor;
  • Evitar a utilização de produtos aerossóis ou com substâncias voláteis na sua composição;
  • Arejar os espaços diariamente e, sempre que possível, desligar o ar condicionado;
  • Não colocar tapetes ou carpetes no escritório e áreas comuns, uma vez que isso pode ajudar à acumulação de ácaros e microrganismos potencialmente prejudiciais à sua saúde e dos seus trabalhadores.

5 – Substitua os sacos de plástico por sacos de tecido personalizados

Apesar de serem relativamente baratos e fáceis de utilizar, os sacos de plástico acabam por ser uma das principais fontes de poluição dos cursos de água.

Para tornar a sua empresa mais sustentável e até ganhar notoriedade entre os consumidores, o nosso conselho passa por abandonar os sacos de plástico e apostar em sacos de tecido personalizados, como aqueles que pode encontrar na Gift Campaign, empresa especializada em brindes publicitários personalizados.

Entre uma série de brindes personalizáveis, vai encontrar uma grande variedade de sacos de tecido que, pela sua versatilidade e baixo preço, podem servir de veículo publicitário de excelência para a sua empresa e, simultaneamente, ajudá-la a tornar-se mais sustentável.

O conforto e adequação aos produtos e estética da sua empresa também não é problema, já que poderá encontrar na Gift Campaign sacos de tecido personalizáveis com o logotipo e/ou mensagem publicitária através de impressão, bordado ou serigrafia com diferentes comprimentos de asas e vários complementos (bolsos, fole, fechos de correr, etc.).

LER MAIS

MAGAZINE

SÓ 19% DOS PORTUGUESES CONHECE OS SEUS DIREITOS NAS VIAGENS DE AVIÃO

Só 19% dos inquiridos portugueses num Eurobarómetro hoje divulgado, abaixo dos 30% da média da União Europeia (UE), afirma conhecer bem os seus direitos no transporte aéreo, situação que preocupa a Comissão Europeia, que divulgou diretrizes.

Online há

em

Só 19% dos inquiridos portugueses num Eurobarómetro hoje divulgado, abaixo dos 30% da média da União Europeia (UE), afirma conhecer bem os seus direitos no transporte aéreo, situação que preocupa a Comissão Europeia, que divulgou diretrizes.

Num Eurobarómetro sobre direitos dos passageiros na UE, hoje publicado, Bruxelas conclui que só 19% dos portugueses inquiridos (num total de 26.601 entrevistas feitas em janeiro e fevereiro deste ano) se sentem bem informados quando viajam avião, o que compara com 30% no total dos 27 países.

Pior só no que toca ao transporte por navio/ferry (14%, que compara com 16% na UE) e melhor sobre o transporte ferroviário (20%, 33% na UE) e de autocarro (23%, 27% na UE).

Em comunicado, a Comissão Europeia refere que “os passageiros necessitam de mais informações sobre os seus direitos”, razão pela qual publica hoje diretrizes interpretativas revistas sobre os direitos dos passageiros aéreos, que visam facilitar o cumprimento da regulamentação e harmonizarão a aplicação pelos organismos nacionais.

“Desde 2016, a Comissão tem vindo a fornecer orientações para dar resposta às preocupações comuns suscitadas pelos organismos nacionais de execução, pelos passageiros e suas associações e pelos representantes do setor. A revisão de hoje tem nomeadamente em conta os acórdãos do Tribunal de Justiça proferidos desde 2016 que clarificam determinadas disposições, permitindo uma aplicação mais eficaz e coerente das regras”, assinala.

A UE é o único espaço no mundo em que os passageiros estão protegidos por um conjunto completo de direitos, quer viajem de avião, comboio, navio ou autocarro.

Estes direitos visam a não discriminação, informação exata, atempada e acessível e a assistência imediata e proporcionada, nomeadamente perante situações como voos cheios (‘overbooking’), cancelados, atrasados, que como recorda hoje Bruxelas obrigam a indemnizações por parte das companhias aéreas.

A informação, publicada no ‘site’ do executivo comunitário e dirigida aos prestadores de serviços de transporte e aos organismos nacionais, surge em época alta da aviação.

Na sexta-feira, uma falha global informática no sistema da Microsoft causou constrangimentos nos aeroportos ao nível mundial, provocando atrasos e cancelamento de voos e problemas com as bagagens.

LER MAIS

MAIS LIDAS