RÁDIO REGIONAL
INTERNACIONAL

PRESIDENTE DAS FILIPINAS INSULTA OBAMA

PRESIDENTE DAS FILIPINAS INSULTA OBAMAnbsp| RÁDIO REGIONAL

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, chamou “filho de uma prostituta” a Barack Obama, salientando que não aceita quaisquer perguntas sobre as mortes extrajudiciais de traficantes de droga no país.

A declaração polémica veio na sequência de uma questão feita ao Presidente filipino sobre como iria justificar as mortes no país, quando os dois líderes se encontrassem no fórum promovido pela Associação das Nações do Sudeste Asiático, em Laos.

“Obama deve ser respeitador e não atirar questões e afirmações. Filho de uma prostituta! Vou amaldiçoá-lo no fórum”, afirmou Duterte.

“Quem é ele para me confrontar?”, disse o presidente filipino, acrescentando que os Estados Unidos também têm um “historial de mortes extrajudiciais“.

Segundo a imprensa internacional, a expressão exacta usada por Duterte foi “son of a whore”. Rodrigo Duterte tem promovido uma guerra às drogas que passa por oferecer recompensas a quem entregar os traficantes às autoridades – 100 mil euros e imunidade perante a justiça se o traficante for morto e 95.500 euros se for entregue com vida.

Segundo o jornal The Independent, desde junho, mais de 2.400 pessoas foram mortas, 900 em operações policiais, e as restantes chamadas de “mortes sob investigação” – um termo usado para encobrir homicídios com recompensas.

Na mesma conferência, Rodrigo Duterte disse que os traficantes serão todos mortos até que o último fabricante de substâncias morra.

Casa Branca cancela encontro

A Casa Branca anunciou, entretanto, o cancelamento do encontro entre os presidentes Obama eDuterte,.

O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Ned Price, adiantou hoje que “o presidente Obama não terá um encontro bilateral com o presidente Duterte”, detalhando que o líder americano vai reunir-se, em vez disso, com a presidente da Coreia do Sul, Par Geun-Hye.

Questionado sobre o assunto, Obama considerou que o seu homólogo filipino “é um tipo extravagante”, e que se chegasse a reunir-se com ele, pensava expor-lhe a preocupação dos Estados Unidos em relação à sua campanha de execuções extrajudiciais.

Entretanto, o presidente Duterte já lamentou ter insultado Barack Obama e atribuiu seu destempero ao contexto de uma entrevista coletiva.

“Apesar de a causa imediata da polémica ter sido a pressão das perguntas da imprensa, lamentamos que tenha sido interpretado como um ataque pessoal contra o presidente dos Estados Unidos“, assinalou um comunicado da presidência.

Rodrigo Duterte tem marcado os seus dois meses de presidência com ofensas dirigidas a vários líderes mundiais, como foi o caso do Papa Francisco e do ainda secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

A reportagem da CNN sobre o “insulto” polémico, e com a resposta de Obama:

VEJA AINDA:

TERRORISMO: MAIS DE 12 MILHÕES DE CRIANÇAS TRAUMATIZADAS NA NIGÉRIA

Lusa

GREENPEACE PEDE À UE QUE PROIBA VOOS DE CURTA DISTÂNCIA E OS SUBSTITUA POR COMBOIOS

Lusa

FIFA REÚNE-SE COM SELECIONADORES PARA DISCUTIR CALENDÁRIO E MUNDIAL DE DOIS EM DOIS ANOS

Lusa

PETRÓLEO: CONSUMO E PROCURA ULTRAPASSARÁ NÍVEIS DE PRÉ-PANDEMIA EM 2022

Lusa

POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA PROVOCA 1,1 MILHÕES DE MORTES EM ÁFRICA EM 2019, SEGUNDO UM ESTUDO

Lusa

EUA: HOMEM EXECUTADO POR CRIME QUE COMETEU HÁ QUASE TRÊS DÉCADAS

Lusa