RÁDIO REGIONAL
INTERNACIONAL

TREZE MILHÕES DE PESSOAS PASSAM FOME NO CORNO DE ÁFRICA DEVIDO À SECA

nbsp| RÁDIO REGIONAL

Treze milhões de pessoas estão a passar fome na Etiópia, Quénia e Somália na sequência da seca no Corno de África, a pior desde 1981, alertou hoje o Programa Mundial de Alimentos (PMA) da ONU.

“Esta situação requer intervenção humanitária imediata e apoio contínuo às comunidades para construir a sua resiliência para o futuro”, disse o diretor do PMA para aquela região africana, Michael Dunford.

Após três estações chuvosas consecutivas, mas como menos quantidade de chuva do que o habitual, as colheitas de milhões de agricultores estão destruídas e muitos animais domésticos morreram, obrigando as famílias a abandonarem as suas casas e causando um aumento dos conflitos intercomunitários.

“As colheitas estão destruídas, o gado está a morrer e a fome está a aumentar à medida que a seca recorrente atinge o Corno de África”, disse Dunford.

O PMA alertou hoje que este cenário pode piorar nos próximos meses, pois as previsões indicam que continuará a chover abaixo da média.

De acordo com esta organização da ONU, as taxas de desnutrição são altas e continuarão a crescer se medidas urgentes não forem tomadas no sul e sudeste da Etiópia, sudeste e norte do Quénia e centro e sul da Somália.

O PMA teme uma crise humanitária como a que ocorreu em 2011, quando 250.000 pessoas morreram de fome na Somália, por isso insistiu que “é essencial uma assistência imediata” para evitar tal calamidade.

O governo queniano identificou a seca como uma “emergência nacional” em setembro de 2021 e a Somália declarou um “estado de emergência humanitária” um mês depois.

VEJA AINDA:

UCRÂNIA: PORTUGAL VAI RECONSTRUIR ESCOLAS NA REGIÃO DE JITOMIR

Lusa

UCRÂNIA: PELO MENOS 343 CRIANÇAS MORRERAM NA SEQUÊNCIA DA INVASÃO RUSSA

Lusa

GUARDA: AUTARQUIA ALERTA AGRICULTURES PARA ‘TEMPOS DIFÍCEIS’ DEVIDO À SECA

Lusa

KIEV SAÚDA ‘POSIÇÃO LÚCIDA’ DA NATO SOBRE A RÚSSIA

Lusa

MONDEGO: AGRICULTORES RECLAMAM MEDIDAS PARA MITIGAR SITUAÇÃO DE SECA

Lusa

CRESCIMENTO DA AQUICULTURA LEVA PRODUÇÃO A NÍVEL RECORDE EM 2020

Lusa