QUEM MANDA EM CASA ?

Os filhos usam, inconscientemente, sinais de domínio para testar o grau de domínio e a permissividade dos pais. É como um conhecer dos limites e saber até onde vai o grau de domínio que eles exercem em casa sobre os pais. Mais tarde o facto de permitir, ou não contrariar, estes sinais pode virar-se contra os pais que, quando quiserem exercer “autoridade” sobre os filhos, seja para os desviar de maus caminhos ou para os orientar para um melhor futuro, poderão não conseguir fazer valer a sua opinião ou não ser reconhecidos como pessoas fortes. É necessário contrariar este “domínio” sub-liminarmente desde logo, “repreender”, contrariar ou alertar de que não admite estes mesmos sinais, isto sem recorrer à violência ou ao grito, uma vez que ambas situações revelam falta de controlo.

Sinais de “domínio” dos filhos:

• Filho/a que interrompe com frequência as conversas dos pais, é um sinal claro de domínio.Quando os filhos interrompem, os pais devem alertar para que esperem pelo fimd a conversa, uma vez que esta é uma das formas de contrariar o domínio deles.

• O olhar fixo serve para demonstrar ou reforçar o domínio e poder que têm sobre si. Em certas situações pode ser um desafio, vai lutar pelo domínio: “Não tenho medo de ti!”. Um filho, que faça este olhar, sente que tem poder sobre os pais ou não os vê como dominantes.

Faça este simples teste: Olhe fixamente para o seu filho/a! Se ele/a não desviar o olhar, então não o vê como dominante.

• Filho/a exibe demasiadas vezes a expressão facial de desprezo. A expressão facial de desprezo é a pior na relação entre pais e filhos. A criança que a faz é porque não lhe está a dar “valor moral”. O filho/a sente que falhou com o pai ou a mãe e agora acha que interagir com os pais é uma perda de tempo.

• Mãos na cintura ou enrolar os olhos quando ouve ou fala com os pais. Estes dois sinais revelam desafio e desinteresse pelo que está a ser dito ou por quem o está a dizer. Se o filho/a fala com as mãos na cintura, os pais devem imitar o gesto. Se enrolar os olhos deve repreender e deve falar-lhe com as palmas das mãos para baixo.

• Sentam-se no lugar habitual do pai ou mãe. Quando os filhos se sentam no lugar dos pais é como um conquistar de território, pois sentem que ocupar os lugares habituais dos pais lhes irá dar o mesmo “poder”. Quando os progenitores quiserem ocupar o seu lugar habitual, devem pedir tranquilamente ao filho/a que saia e se sente no lugar dele. Este gesto demonstra inconscientemente que os pais ainda são o “rei/rainha” da casa.

Existem muitos mais sinais de domínio que deve contrariar aos seus filhos para os conseguir ajudar ao longo do seu crescimento pessoal e profissional, mas sempre sem violência verbal ou física.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.